Petrobras vigiada pela SEC

retoma a produção da P-36
Vigiada pela Securuty Exchange Commission (SEC, a CVM dos EUA), a Petrobras retomou a produção do campo gigante de Roncador, interrompida pelo o afundamento da plataforma P-36, em março de 2001. A nova unidade de produção, a FPSO-Brasil, que vai receber a interligação de 11 poços, reinicia a carga com a produção de 22 mil barris diários de um poço. Dentro de alguns dias, novo poço entra em operação e a produção se elevará para 40 mil barris por dia.
Além do petróleo, a nova plataforma vai gerar 750 mil metros cúbicos diários de gás natural. A capacidade total desta unidade é para 90 mil barris por dia. Essa carga produtiva só estará operando no primeiro semestre de 2003. As informações da empresa estão sendo “observadas” com cuidado pela  CVM dos EUA, que estaria tentando evitar “formação artificial de preço” das ações da Petrobras convertidas em ADR (American Depositary Receipts) na Bolsa de Nova York (NYSE).
Esse novo equipamento foi contratado sob a forma de aluguel e só vai atender à metade da produção da P-36 que era considerada a maior unidade de produção do gênero, no mundo, operando com 21 poços interligados para produzir 180 mil barris por dia. A FPSO-Brasil vai ficar na Bacia de Campos, no campo de Roncador, até 2007. O preço do aluguel não foi revelado. Ela vai sair da área quando estiver pronta a plataforma P-52, em fase de licitação.
Sua adaptação às condições operacionais do mega campo de Roncador demorou 15 meses, entre a contratação e a chegada à Bacia de Campos. Ela foi ancorada em águas com 1.290 metros de profundidade (lâmina d”água). Pode armazenar até 1,7 milhão de barris de petróleo e comprimir três milhões de metros cúbicos de gás natural ao dia, além de injetar 15 mil metros cúbicos de água salgada por dia para reforçar os poços de produção.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLivre pensar
Próximo artigoColônia

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Benext lança primeiro serviço de voice commerce no Brasil

Desenvolvida pela startup para Colgate-Palmolive, a loja é integrada com a Amazon e o cliente faz toda a compra por comando de voz.

‘Imortal: Arte, Alma e Futuro’ nesta 5ª feira

Autora do monumento em homenagem a Ayrton Senna expõe 45 peças inéditas no Centro Cultural Correios RJ.

Exposição ‘Enredados’ no Centro Cultural Correios RJ

São seis esculturas e seis pinturas, com 2 metros de altura, abstratas e com metal naval.

Protestos contra a venda da Reman

O Sindicato dos Petroleiros do Amazonas (Sindipetro-AM), filiado à Federação Única dos Petroleiros (FUP), entrou com ação na Justiça contra a venda da Refinaria...

Vale e empresa chinesa buscam descarbonização para a siderurgia

A Vale assinou um Memorando de Entendimento ("Memorandum of Understanding”, ou “MoU”, em inglês) com a chinesa Jiangsu Shagang Group Co., Ltd em que...