Petróleo: extração em fevereiro cai 2% em relação a janeiro

47
Barril de petróleo (ilustração Pixabay)
Barril de petróleo (ilustração Pixabay)

O Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural de fevereiro de 2024 da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgado nesta terça-feira (2), reportou que o país extraiu menos petróleo em fevereiro em comparação a janeiro. Foram extraídos 3,448 milhões de barris por dia (bbl/d), uma redução de 2,0% na comparação com o mês anterior e aumento de 5,7% em relação ao mesmo mês de 2023.

O boletim traz os dados consolidados da produção nacional. A produção total (petróleo + gás natural) foi de 4,383 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d). A produção de gás natural em fevereiro foi de 148,63 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d). Houve queda de 3,4% frente a janeiro de 2024 e elevação de 1,4% na comparação com fevereiro de 2023. Pré-sal A produção total (petróleo + gás natural) no pré-sal, em fevereiro, foi de 3,336 milhões de boe/d e correspondeu a 76,1% da produção brasileira.

Esse número representa uma redução de 1,5% em relação ao mês anterior e um aumento de 2,1% na comparação com o mesmo mês de 2023. Foram produzidos 2,623 milhões de bbl/d de petróleo e 113,46 milhões de m³/d de gás natural por meio de 148 poços. Aproveitamento do gás natural Em fevereiro, o aproveitamento de gás natural foi de 96,5%. Foram disponibilizados ao mercado 52 milhões de m³/d e a queima foi de 5,28 milhões de m³/d. Houve aumento de 16,3%, na queima, em relação ao mês anterior, e de 38,7% na comparação com fevereiro de 2023. O incremento na queima se deu devido à continuidade do comissionamento da FPSO Sepetiba, no Campo de Mero, sendo comum nesses casos de novas plataformas. Origem da produção No mês, os campos marítimos produziram 97,5% do petróleo e 86,4% do gás natural. Os campos operados pela Petrobras, sozinha ou em consórcio com outras empresas, foram responsáveis por 88,69% do total produzido.

A produção teve origem em 6.505 poços, sendo 533 marítimos e 5.972 terrestres. Campos e instalações No mês de fevereiro, o campo de Tupi, no pré-sal da Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás, registrando 744,68 mil bbl/d de petróleo e 37,30 milhões de m³/d de gás natural.

Espaço Publicitáriocnseg

A instalação com maior produção de petróleo e gás natural foi a FPSO Guanabara, na jazida compartilhada de Mero, com 179.593 bbl/d de petróleo e 11,56 milhões de m³/d de gás.

Sobre o Boletim da Produção de Petróleo e Gás Além da publicação tradicional em .pdf, é possível consultar os dados do boletim de forma interativa utilizando a tecnologia de Business Intelligence (BI). A ferramenta permite que o usuário altere o mês de referência para o qual deseja a informação, além de diferentes seleções de períodos para consulta e filtros específicos para campos, estados e bacias.

A partir da divulgação do mês de janeiro de 2024, foram incluídas consultas por regime contratual, indicativo de campos marginais e campos maduros e o filtro de operador da época do período escolhido na consulta. Variações na produção são esperadas e podem ocorrer devido a fatores como paradas programadas de unidades de produção em função de manutenção, entrada em operação de poços, parada de poços para manutenção ou limpeza, início de comissionamento de novas unidades de produção, dentre outros. Tais ações são típicas da produção de petróleo e gás natural e buscam a operação estável e contínua, bem como o aumento da produção ao longo do tempo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui