Petróleo mantém queda e fecha abaixo de US$ 100 no mercado dos EUA

Dólar forte leva a nova desvalorização na semana.

Os preços do petróleo continuaram sua trajetória de queda nesta terça-feira. O West Texas Intermediate (WTI) para entrega em junho caiu 3,2%, para fechar em US$ 99,76 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York. O petróleo Brent para entrega em julho perdeu 3,3%, para fechar a US$ 102,46 o barril na London ICE Futures Exchange. Na segunda-feira, o WTI e o Brent já haviam caído 6,1% e 5,7%, respectivamente.

“A queda foi provocada por preocupações econômicas que também foram expressas em mercados de ações em forte queda”, disse Carsten Fritsch, analista de energia do Commerzbank Research, em nota na terça-feira.

“Além disso, também houve algumas notícias específicas do petróleo: a notável redução da Arábia Saudita em seus preços oficiais de venda para clientes asiáticos foi claramente interpretada por alguns participantes do mercado como um sinal de demanda de petróleo mais fraca”, disse ele.

Também pesou no mercado o dólar forte. O índice do dólar, que mede a moeda norte-americana em relação aos seis principais pares, subiu 0,26%, para 103,92 no final do pregão de terça-feira, pairando perto de uma alta de duas décadas. Um dólar mais forte é negativo para commodities precificadas na unidade, tornando-as mais caras para compradores que usam outras moedas, segundo a agência de notícias Xinhua.

Os comerciantes também estão aguardando dados sobre os estoques de petróleo dos EUA, já que a Administração de Informações de Energia dos EUA deve divulgar seu relatório semanal de status do petróleo nesta quarta-feira.

Leia também:

Alta de commodities faz exportação aos árabes crescer

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Turquia quer acordo escrito para Finlândia e Suécia na Otan

Até agora, turcos têm sido os únicos membros da Otan que se opõem às propostas dos dois nórdicos.

FMI alerta sobre mais riscos negativos para economia global

Em abril, Fundo havia dito que o crescimento global desaceleraria de estimados 6,1% em 2021 para 3,6% em 2022 e 2023.

Johnson se recusa a renunciar por festas ilegais na quarentena

Primeiro-ministro britânico assumiu total responsabilidade pelos eventos em seu escritório, mas se nega a renunciar devido a escândalo.

Últimas Notícias

Mercados caminham para fechar a semana do lado positivo

Bolsas e moedas são destaque, mas o que vale mais a pena ressaltar é a redução no juro futuro nos EUA.

Redução das desigualdades e saneamento

Brasil ainda apresenta 1,6 milhão de residências sem banheiro.

Turquia quer acordo escrito para Finlândia e Suécia na Otan

Até agora, turcos têm sido os únicos membros da Otan que se opõem às propostas dos dois nórdicos.

Arábica soma 67% e conilon, 33% da produção do Brasil

Safra brasileira total de café está estimada em 53,42 milhões de sacas de 60 kg, sendo 35,71 de arábica e 17,71 milhões de conilon.