PF busca ligações de 3 empresas de telefonia com Gamecorp

Ações da Oi e da Vivo tiveram pequena queda.

Acredite se Puder / 17:51 - 10 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O comportamento das ações preferenciais da Oi surpreenderam no pregão desta quarta-feira, pois a cotação baixou apenas 0,81% para R$ 1,23, quando se esperava uma queda bem maior, por causa da 69ª fase da Operação Lava Jato, denominada Mapa da Mina. A companhia teve suas instalações no Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Distrito Federal invadidas por 200 policiais federais, com o apoio de 15 auditores-fiscais da Receita Federal, para cumprir 47 mandados de busca e apreensão. Tudo por causa do envolvimento das empresas do grupo Oi/Telemar com o grupo Gamecorp/Gol, controladas por Fábio Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, além de Fernando Bittar, Kalil Bittar e Jonas Suassuna, com pagamentos superiores a R$ 132 milhões, entre 2004 e 2016, considerados sem justificativa econômica plausível.

Ao mesmo tempo, pelo mesmo motivo, as ações da Vivo/Telefônica só perderam 0,79%, baixando para R$ 56,48. A companhia sofreu buscas para apurar indícios de irregularidades com o relacionamento com o grupo Gamecorp/Gol no projeto chamado de Nuvem de Livros. Além disso, houve mandato para a sede da Movile Internet Móvel, em São Paulo, para apurar a movimentação na ordem de R$ 40 milhões com a Editora Gol no período de entre janeiro de 2014 e janeiro de 2016.

 

MPF faz ações da JBS perderem mais de 2,6%

O engraçado é que, apesar de as companhias telefônicas terem sido invadidas pela Polícia Federal terem baixado quase nada, as da JBS registraram perdas superiores a 2,60%, se situando na faixa de R$ 35,80, pois o Ministério Público Federal protocolou ação civil pública por improbidade administrativa contra 14 pessoas e as empresas JBS e J&F Investimentos por fraudes no sistema BNDES/BNDESPar para favorecer o grupo e facilitar o processo de internacionalização da empresa. Além da condenação por improbidade, o MPF pede a devolução de 144.206.155 ações JBSS3 à BNDESPar e demais ressarcimentos de danos, acrescidos de multa e do dano moral coletivo, totalizando uma devolução de mais de R$ 21 bilhões. Entre os envolvidos estão o ex-ministro Guido Mantega e seu filho, Leonardo Mantega, o ex-deputado federal Antônio Palocci, o ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho, os irmãos Joesley, Wesley e Junior Batista, técnicos do BNDES e operadores ligados à JBS. Em nenhum dos dois casos as empresas são prejudicadas em nada.

 

M. Dias Branco incorpora a Piraquê

A M. Dias Branco está incorporando a Piraquê, sua subsidiária no Estado do Rio de Janeiro, e o capital social da fábrica de bolachas fluminense, no valor de R$ 417,4 milhões, representado por 226,8 milhões de ações ordinárias, passa imediatamente para o seu controle. “Em decorrência da incorporação, a Piraquê será extinta, e todos os seus bens, direitos, haveres, obrigações e responsabilidades passarão, automaticamente, ao acervo patrimonial da M. Dias Branco, que a sucederá em caráter universal”, informa o documento. O mercado calcula que a M. Dias Branco, em fevereiro de 2018, desembolsou R$ 1,5 bilhão nessa transação.

 

Petrobras vendeu 34 poços no RN

A Petrobras finalizou a venda da sua participação em 34 poços petrolíferos no litoral do Estado do Rio Grande do Norte, na chamada Bacia Potiguar, para a empresa Potiguar E&P S/A, subsidiária da Petrorecôncavo S/A. A operação foi concluída com o pagamento de US$ 266 milhões, cerca de R$ 1,1 bilhão descontado US$ 28,8 milhões recebidos pela estatal em abril deste ano, quando as duas empresas assinaram o contrato. Os campos produzem em média 5,8 mil barris diários na Bacia Potiguar.

 

Rota das Bandeiras lança debentures

A Concessionária Rota das Bandeiras S/A, que opera rodovias estaduais no interior paulista, iniciou nesta terça a oferta de debêntures no valor total de R$ 2,1 bilhões, que se estenderá até 9 de junho de 2020, e o dinheiro obtido com a venda dos papéis será usado para a duplicação e outras obras de melhorias em 14 rodovias estaduais do Corredor Dom Pedro I, do anel viário de Campinas e da via perimetral em Itatiba. As debêntures vencerão a partir de janeiro de 2024.

 

Multiplan aumenta participação

A Multiplan exerceu o direito de preferência sobre proposta para aquisição da participação equivalente à 2,19% da ABL total detida por um dos condôminos do RibeirãoShopping, em Ribeirão Preto, por R$ 28,7 milhões. A transação depende da aprovação das autoridades concorrenciais.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor