Planos de saúde têm 47% dos leitos ocupados e inadimplência normal

Internações por síndrome respiratória aguda mais que dobraram.

Seguros / 20:57 - 19 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A taxa mensal de ocupação de leitos de pacientes de planos de saúde com a Covid-19 evoluiu de 9% em fevereiro para 47% em abril, de acordo com dados de atendimento assistencial prestado por 45 operadoras de planos que dispõem de rede própria hospitalar. Já a taxa média de ocupação de leitos para demais procedimentos mostrou recuo nos três primeiros meses do ano, passando de 66% em fevereiro para 61% em março e 51% em abril.

O Boletim Covid-19, divulgado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), apresenta expansão no número de internações por síndrome respiratória aguda grave (Sars), em comparação ao mesmo período do ano passado. As internações por Sars subiram de 936 em fevereiro para 2.575 em março e para 5.432 em abril de 2020. No mesmo período de 2019, os números eram 920 internações em fevereiro, 1.561 em março e 1.800 em abril.

Os dados relativos à inadimplência indicam que não houve variação significativa em 2020 no comparativo com 2019. O índice tem se mantido em 13% em fevereiro, março e abril de 2020. Os serviços de saúde hospitalares representaram 32,69% das despesas assistenciais dos planos de saúde no ano de 2019.

As internações por Covid-19 com unidade de tratamento intensivo (UTI) tiveram custo médio diário de R$ 4.035, com tempo médio de internação de 11,5 dias e custo total no período de R$ 45.558, enquanto as internações sem UTI apresentaram custo médio/dia de R$ 1.705, tempo médio de internação de 5,3 dias e custo total de R$ 8.972.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor