Plugado

O Brasil fechou 2007 como o quinto maior  mercado de PCs do mundo, com 10,7 milhões de computadores, segundo o estudo Brazil Quarterly PC Tracker. O país ficou atrás de Estados Unidos (64 milhões), China (36 milhões), Japão (13 milhões) e Reino Unido (11,2 milhões), mas à frente da Índia (6,4 milhões, 9º lugar). Diante desses dados, o IDC projeta que, até o fim de 2010, o Brasil deverá ocupar o terceiro lugar no ranking, perdendo apenas para EUA e China.

Hegemonia
O Brasil tem ampliado sua hegemonia no setor na América Latina, na qual já representa 47,3% das vendas de computadores pessoais. Segundo colocado no ranking da região, o México detém apenas 19,5% do total. As vendas de 10,7 milhões de PCs no Brasil, em 2007, entre desktops e notebooks,  representaram crescimento de 38% sobre 2006.
O consumo de desktops continua líder na preferência nacional: 9,1 milhões de equipamentos vendidos, ano passado, mais 28% sobre 2006.

“Sem sensus”
O resultado da pesquisa Sensus-CNT, que apontou aumento da popularidade do presidente Lula foi classificado de “sem sensus” pelo blogueiro César Maia, que, nas horas vagas, também é prefeito do Rio de Janeiro. Segundo Maia, que se queixou de, pela primeira vez os quadros completos da enquete não teriam sido informados, “todas as notas sobre o governo foram Lula baixas, mas média… argh! É alta”.

Confiança
Para exemplificar sua crítica aos números da pesquisa, o blogueiro-prefeito que cita que pouco mais de 4% disseram confiar no governo federal: “A pesquisa quis saber em quais instituições a população brasileira mais confia: 39,4% confiam na Igreja; 16,5% nas Forças Armadas; 12,7% na imprensa e nos meios de comunicação; 11,3% na Justiça; 4,4% no governo Federal; 4,1% na Polícia e 0,5% no Congresso”, cita Maia.

Imagem
E acrescenta: “Para 74,9% (entre os que conhecem o assunto), o uso dos cartões corporativos afeta a imagem do presidente Lula; 20,2% não acreditam que afete.”  E observa ainda que, 55,3% dos entrevistados que acompanham a crise econômica mundial, 23,2% acreditam que o Brasil está preparado para enfrentá-la, contra 70,8% que não.

Loteria
Os donos das loterias do Estados de São Paulo decidem, nesta quinta-feira, em assembléia, sobre o protesto que pretende realizar em Brasília contra os termos dos acordos que regulam suas relações com a Caixa Econômica Federal: “Pagamos para transportar o dinheiro da Caixa, que economiza R$ 1,6 milhão por mês no abastecimento das agências de auto-atendimento. Agora somos uma agência bancária, sem segurança e sem receber por isso. Não podemos atuar como agências bancárias e ainda pagar se quisermos segurança para transportar o dinheiro que é da Caixa”, reclama o presidente da  Sincoesp, Luiz Carlos Peralta, que espera adesão ao movimento também de lotéricos de outros estados.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOnde tem fumaça
Próximo artigoVaia

Artigos Relacionados

Deputado bolsonarista: servidor não pode ser sacrificado

‘Sociedade acha que não é o momento da reforma administrativa’.

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Prorrogação da concessão sem pagamento de outorga.

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Últimas Notícias

Pitch Night Mulheres no Comando

Grupo de mulheres investidoras anjo autofinancia startup de tecnologia lideradas por elas mesmas.

Limite de R$ 1 mil para saques entre 20 h e 6h deve dividir opiniões

Crescimento de golpes obriga BC a adotar medidas restritivas Na tentativa de evitar fraudes, o Banco Central adotou esta semana duas medidas restritivas: limite de...

Brasileiros começam a descobrir a Mesa proprietária

No Brasil o conceito ainda é desconhecido para a maioria das pessoas, mas é possível ganhar dinheiro trabalhando como trader no mercado financeiro e...

China: US$ 1,47 tri em aeronaves nos próximos 20 anos

O mercado de aviação da China criará uma demanda de novas aeronaves comerciais avaliada em US$ 1,47 trilhão nos próximos 20 anos, informou uma...

Cerca de 51% das ações ordinárias da ES Gás serão vendidas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o governo do Estado do Espírito Santo e a Vibra Energia (antiga BR Distribuidora) assinaram,...