PMIs: atividade de serviços impulsiona setor privado no Brasil

Por Fabricio Gonçalvez

65
Prestador de serviço
Pedreiro (Foto: divulgação)

O PMI composto do Brasil da S&P Global subiu de 49,0 em setembro para 50,3 em outubro, apresentando expansão pela sexta vez nos últimos oito meses.

Essa recuperação do setor privado tem sido fomentada pela atividade de serviços, que viu uma melhoria na demanda, o que compensou a queda na produção da indústria nacional. O PMI do setor de serviços foi de 48,7 para 51,0 no mês passado, enquanto o PMI industrial caiu de 49,0 em setembro para 48,6 em outubro.

Os participantes da pesquisa apontaram que houve aumento das vendas e expansão dos investimentos no setor de serviços. A expectativa para os próximos meses segue mais otimista, sendo os principais fatores para essa perspectiva a resiliência da demanda, eventos e datas comemorativas, lançamentos de novos serviços e controle maior da inflação.

Embora o cenário seja mais favorável para os prestadores de serviços, requer cautela pelas menções de custos mais elevados com materiais – especialmente energia, alimentos, combustíveis, seguros e água – e mão de obra no mês passado.

Espaço Publicitáriocnseg

O setor industrial segue com dificuldades pela redução das exportações, assim sendo, apresenta declínio de novos pedidos e queda dos estoques.

Leitura adequada do PMI (Purchasing Managers’ Indexs)

O Índice de Gerentes de Compras (PMI) é um importante indicador para avaliar a saúde econômica do país. O índice varia de 0 a 100 e tem como principal referência o patamar de 50,0 pontos, que indica que não houve mudança na atividade em relação ao mês anterior.

Leituras acima de 50,0 mostram expansão na comparação com o mês anterior, o que é considerado, na maioria das vezes, um sinal positivo. Por outro lado, números abaixo de 50,0 apontam contração na atividade em relação ao mês anterior, o que pode ser um sinal de alerta para os investidores.

Quanto mais significativa a diferença em relação ao nível neutro de 50,0 pontos, maior é a mudança indicada.
Um exemplo prático é quando o PMI passa de 44 para 47. Nesse caso, não significa que houve melhora na atividade econômica, mas que a retração diminuiu. Da mesma forma, uma redução de 58 para 55 não indica uma piora da atividade, mas que o crescimento foi mais lento.


Comentários finais

A melhora mais robusta das atividades econômicas demandarão aumento dos investimentos e emprego. Para isso, a inflação precisa continuar estabilizando, pois é fundamental para manutenção do poder de compra da população. Além de favorecer a atual trajetória de redução da taxa Selic pelo Banco Central brasileiro.

A queda na taxa de juros impulsiona a busca pelo crédito, visto que diminui o custo do dinheiro, e estimula o consumo e os investimentos.
A previsibilidade dos gastos públicos por parte do governo central também é benéfica para a captação de investimentos, bem como medidas que melhorem a percepção do risco fiscal e do ambiente de negócios no país, como a reforma administrativa e a reforma tributária, que podem ser aprovadas no congresso nacional nos próximos meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui