Pobreza infantil na Alemanha atinge nível recorde

1 em cada 5 crianças alemãs é afetada pela pobreza infantil; país mais rico da Europa tem 14 milhões de pobres

67
Euro
Euro (Foto: CE)

A pobreza infantil na Alemanha atingiu um nível recorde, com uma em cada cinco crianças afetada em 2022, informou nesta terça-feira a Paritaetische Gesamtverband, associação de assistência social alemã.

Cerca de 14,2 milhões de pessoas na maior economia da Europa vivem na pobreza, afirmou a ONG em relatório. As famílias monoparentais, as famílias numerosas e as pessoas com poucas qualificações educativas ou sem cidadania alemã foram as mais atingidas.

“A pobreza na Alemanha permaneceu num nível muito elevado em 2022”, disse Ulrich Schneider, diretor-gerente da associação. Em comparação com o ano anterior, o número foi ligeiramente inferior, mas ainda 1 milhão superior ao de antes da pandemia e da crise energética de 2019.

Desde 2006, tem havido “uma tendência quase ininterrupta de aumento constante da pobreza”, salientou Schneider, acrescentando que, embora esta tendência tenha sido “interrompida por enquanto”, “não foi de forma alguma revertida”. Em 2023, tal mudança também não pode ser esperada, “tendo em conta as condições económicas e do mercado de trabalho”.

Espaço Publicitáriocnseg

No meio da recessão no final de 2023, quase 2,64 milhões de pessoas na Alemanha estavam desempregadas, o que representa mais 183 mil do que no ano anterior. “A economia fraca não deixou o mercado de trabalho ileso”, disse Andrea Nahles, chefe da Agência Federal de Emprego.

Leia também:

Alemanha confirma recessão em 2023 e deve repetir em 2024 | Monitor Mercantil

Nos últimos dois anos, o governo alemão tem contrariado o forte aumento dos preços ao consumidor com extensas medidas de alívio, tais como reduções fiscais e limites máximos dos preços da energia. O salário mínimo também foi aumentado em duas fases, de € 10,45 para € 12,41.

No entanto, a Paritaetische Gesamtverband considera que isto é insuficiente e pede um aumento do salário mínimo para € 15. Os cuidados infantis também devem ser alargados, e um seguro infantil básico deve ser criado para proteger contra a pobreza, disse a associação.

O governo alemão pretende implementar a proteção básica das crianças até 2025, mas as negociações sobre o assunto foram interrompidas devido a restrições orçamentárias na sequência da fracassada realocação dos fundos de ajuda da Covid-19 para a proteção climática. Dos € 12 bilhões inicialmente previstos para a medida, restam apenas € 2,4 bilhões.

O movimento no sentido de fundir diferentes auxílios para crianças num único instrumento é positivo, “mas os planos atuais são mais uma reforma administrativa do que um verdadeiro regime básico de seguro infantil”, disse Bettina Kohlrausch, diretora científica do Instituto de Investigação Econômica e Social, à agência de notícias Xinhua.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui