Políticas identitárias atrapalham esquerda

Desindustrialização, queda da qualidade do emprego e desigualdade são batalhas a serem travadas

100
Manifestação na França (foto de Jeanne Menjoulet, CC)
Manifestação na França (foto de Jeanne Menjoulet, CC)

O afastamento da classe trabalhadora da esquerda não é o caso, e nunca foi o caso, sustenta o novo livro de Piketty (Une histoire du conflit politique. Élections et inégalités sociales en France, 1789-2022), escrito em conjunto com Julia Cagé e que foi publicado mês passado. A obra abrange ampla pesquisa de dados e aborda temas como imigração e políticas identitárias – ambos tiram o foco do essencial para a sociedade.

Ao examinar os dados das eleições na França entre 1848 e 2022 (quase 50), vê-se que as comunidades mais ricas sempre e sistematicamente votaram muito mais na direita do que na esquerda.

Na França, os eleitores urbanos de baixa renda votam predominantemente na esquerda, enquanto os eleitores da classe trabalhadora fora das principais cidades, especialmente da manufatura (blue collar, colarinho azul), têm maior probabilidade de votar nos partidos da extrema direita.

Em artigo no jornal britânico The Guardian (“A deriva para a direita da Europa não está estabelecida em pedra: nossa nova pesquisa deve dar esperança à esquerda”), Piketty e Cagé explicam o motivo para otimismo:

Espaço Publicitáriocnseg

“De fato, a falta de serviços públicos em áreas rurais, desindustrialização, acesso desigual à propriedade e maior desigualdade são questões que podem ser abordadas pela implementação de políticas adequadas. Políticas identitárias, por outro lado, tendem apenas a levar a tensões e conflitos na sociedade.”

Essas conclusões podem ser aplicadas a outros países? “Vemos poucas razões para esperar que os eleitores pobres na França se comportem de maneira diferente daqueles de outras democracias ocidentais, principalmente porque estão enfrentando muitas ameaças semelhantes, da desindustrialização ao desemprego.”

Enfrentam também, e aí quem diz é o colunista, temas que desviam atenção do essencial da lua contra o império financeiro-tecnológico-armamentista. São os casos das políticas identitárias e da questão da imigração – neste caso, tema em alta na Europa, especialmente.

Nas palavras dos autores do livro, os dados de votação sugerem que virar para a direita na migração para reconquistar o voto da classe trabalhadora é um beco sem saída político.

O novo livro de Piketty terá uma edição em inglês publicada no próximo ano.

NFT: vale nada mas gasta muito

Os NFT, moda em 2021, com famosos (e outros nem tanto) pagando milhões por esses criptoativos que representam direitos sobre imagens e textos, valem agora perto de zero. Mas isso não quer dizer que são inertes.

Pesquisa feita pela dappGambl identificou 195.699 coleções de NFT sem proprietários aparentes ou participação de mercado. A energia necessária para manter o registro dessas inutilidades era comparável a 27.789.258 kWh, equivalente ao de uma cidade com 15 mil habitantes.

Rápidas

O Energy Future realizará na próxima segunda, às 11h, webinário sobre as mudanças no Programa de Pesquisa e Desenvolvimento do Setor de Energia Elétrica (PROPDI) e no Plano Estratégico Quinquenal de Inovação (PeQUI). Mais informações aqui *** No dia 16, às 19h, o BNI Brasil (@bnibrasil) faz live com o empresário Oséias Gomes (@oseiasgomesoficial), fundador e CEO da Odonto Excellence Franchising *** Os ex-deputados federais constituintes Miro Teixeira e Aldo Arantes serão palestrantes no evento “35 anos da Constituição: a voz dos constituintes”, do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), que acontecerá nesta quinta-feira, às 15h. Transmissão pelo canal TVIAB no YouTube *** A gastrônoma Bianca Eloi, da Bi Pães Artesanais, criou um cardápio acessível com audiodescrição, acessado por QR Code. A iniciativa será lançada durante o evento “Grafite para cego ver”, da Casa da Ciência da UFRJ, em 19 de outubro *** O Shopping Jardim Guadalupe recebe, neste sábado, das 9h às 17h, campanha de vacinação antirrábica *** A presidente da Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e diretora da Via Apia Luxury Travel, Viviane Fernandes, está em Nova Delhi, Índia, participando do Congresso da Pata – Pacific Asia Travel Association. É a única brasileira no evento – o maior de agentes de viagens da região – que vai até esta sexta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui