Por que letalidade da Covid no Rio é 13x maior que em SC?

A taxa de letalidade da Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro é de 12%, 13 vezes maior que a de Florianópolis. Belém vem logo em seguida aos cariocas, com 11% de letalidade. Palmas, capital do Tocantins, aparece logo depois da capital catarinense, com taxa de 1,1%, enquanto a média nacional atinge 5,1%. O que explicaria tamanha disparidade? Subnotificação é um problema sério no Brasil, diante da falta de testes na maioria dos municípios. A desigualdade social também é uma pista.

Levantamento elaborado pelo Programa Cidades Sustentáveis (PCS) acrescenta uma explicação: ao comparar os dados do coronavírus com outras informações relativas à saúde, os pesquisadores do PCS chegaram à conclusão que, de forma geral, a letalidade da Covid-19 é maior nas cidades em que as taxas de mortalidade por doenças respiratórias já apresentavam índices elevados antes da pandemia.

Em 2018 (último ano com dados disponíveis do indicador), o Rio de Janeiro foi a capital com maior taxa de mortalidade por doenças respiratórias (111 óbitos por 100 mil habitantes). Belém registrou 94 mortes por 100 mil habitantes. Florianópolis e Palmas registraram índices bem menores. A primeira contabilizou 42 óbitos, e a segunda, 21 por 100 mil habitantes. Ambas ficaram bem abaixo da média nacional, que alcançou 74.

A subnotificação ajuda a entender o caso de Campo Grande (MS). Embora tenha alto índice de mortalidade por doenças respiratórias de 95 óbitos por 100 mil habitantes em 2018, o índice de letalidade do novo coronavírus se situa entre os mais baixos do levantamento do PCS: 1,8% de pessoas contaminadas morreram na cidade. Mas levantamentos feitos por órgão de comunicação como a revista Piauí apontam a desproporção entre mortes por Covid e por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) de causas desconhecidas. No Mato Grosso do Sul, para cada 10 mortes por coronavírus, há 87 por SRAG indeterminada. Em Minas Gerais, 10 por 45. Na média do Brasil, a relação é de 10 por 8.

Números que ajudam a explicar a alta taxa de mortalidade em algumas capitais e a alta taxa de maquiagem em outras.

 

São João cai na rede

Com programação de seis horas, a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) leva para o ambiente virtual, em 24 de junho, a festa de São João. Serão oficinas, exibição de filmes e shows, com a presença de folcloristas, historiadores e cantores, como Cristina Amaral.

Vamos levar o São João, essa festa tão tradicional do Nordeste, para a casa das pessoas. Estejam onde estiverem, poderão vivenciar o período junino e conhecer o acervo da Fundaj sobre o tema”, explica Antônio Campos, presidente da Fundação.

José Francisco Borges, conhecido por sua arte, os cordéis e a xilogravura será o homenageado do São João na Rede. A festa terá início às 15h em saojoaodafundaj.com.br e nas redes sociais da instituição.

 

Bye, bye, Tio Sam

Quatro empresas chinesas gastarão este ano US$ 8,1 bilhões para deixar o mercado de ações dos EUA. A Petrobras gastaria entre US$ 7 bi e US$ 17 bi para dar tchau para o Tio Sam e para suas interferências que só visam – por óbvio – os interesses estadunidenses.

 

Rápidas

Instituto Butantan, Hospital das Clínicas e Fapesp discutem a importância da iniciativa privada para alavancar seus projetosna live “Conexões para construir um futuro mais solidário”, promovida pelo escritório Leite, Tosto e Barros Advogados com apoio da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústria de Base (ABDIB), nesta quinta-feira, às 17h, pelo YouTube *** A Aasp realizará em 19, 22, 24 e 26 de junho, sempre às 10h, o webinar “Direito Concursal (análise completa)”. Inscrições aqui *** “Fake news e liberdade de expressão” é o assunto do webinar Papo com o IAB nesta quinta-feira, às 10h30, no canal TVIAB no YouTube, com o ex-deputado federal Miro Teixeira, entre outros *** A especialista em Marketing Digital e professora da A+Online, Elis Monteiro, e o consultor de varejo, Marco Quintarelli realizam live dia 25, às 20h30, para falar sobre o boom das vendas online durante a pandemia, no Instagram: @marcoquintarelliconsultor *** Nesta quinta,18h30, a nutricionista da Clínica Neurovida Ana Paula Cony participa de uma live organizada pelo colégio Faria Brito, no Recreio, para falar de alimentação nos tempos de pandemia e isolamento social, em instagram@fariabrito

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.