‘Por que ninguém viu isto acontecer?’

A crise de 2008 surpreendeu quem não queria ver os alertas. Onze anos depois, o Fundo Monetário Internacional (FMI) continua acreditando que é difícil prever a instabilidade financeira. No entanto, artigo de Tobias Adrian, Dong He, Nellie Liang e Fabio Natalucci garante que estão sendo feitos progressos para melhorar a compreensão de ligações importantes entre o setor financeiro e a economia. “Agora entendemos melhor como as vulnerabilidades financeiras podem ampliar os choques negativos e prejudicar a produção e o emprego”, dizem os economistas do Fundo.

A abordagem atual envolve uma avaliação sistemática de vulnerabilidades financeiras para empresas e mercados financeiros, tomadores de negócios, famílias e governo, e uma medida resumida de risco de estabilidade financeira em termos de previsão de crescimento do PIB dependendo das condições financeiras.

Esse monitoramento permite identificar vulnerabilidades, ainda que que não se possa dizer quando uma crise poderia acontecer. Olhando para o futuro, é possível que os riscos de estabilidade financeira sejam incorporados nos quadros de decisão para a política monetária e a política regulatória, em vez de ocorrer apenas quando os riscos financeiros já são muito altos.

Apesar dos avanços do FMI, os especialistas do Fundo ainda não se arriscam a responder à pergunta da rainha Elizabeth II, em novembro de 2008 durante uma visita à London School of Economics, sobre a crise financeira global. “É horrível. Por que ninguém viu isso acontecer?”

 

Sem desculpa

A inadimplência encontra-se em trajetória de queda, acredita a Mapfre Investimentos. E a composição do endividamento das famílias está melhorando. A diferença entre o nível das dívidas com e sem crédito habitacional vem aumentando ao longo do tempo. “Ou seja, o endividamento é crescente, mas cada vez mais em virtude de créditos de longo prazo, o que é positivo. Não por acaso, o prazo médio das operações de crédito vem aumentando”, analisam.

As famílias estão reduzindo o elevado endividamento. “Curioso que, mesmo com essa redução da inadimplência, o spread bancário se mantenha em elevação”, assinala a Mapfre.

 

Voto

Sidney Rezende concorre ao Prêmio Comunique-se de Jornalismo como Empreendedor do Ano. Poucos profissionais inovaram e se reinventaram em tantas plataformas distintas. Tem o voto deste colunista, e merece o seu, leitor.

 

Corpo são

Em 2018, a indústria mundial do bem-estar foi responsável por uma receita de US$ 94 bilhões. No mundo, há mais de 210 mil academias, que recebem cerca de 183 milhões de clientes.

Nas Américas, é gerado quase metade do valor global. São US$ 41,1 bilhões, dos quais US$ 32 bilhões são só dos estadunidenses. O Canadá vem em segundo lugar, com US$ 2,9 bilhões, e o Brasil, em terceiro, com US$ 2,1 bilhões.

Os dados são da IHRSA 2019 Global Report e serão debatidos na 20ª IHRSA Fitness Brasil, de 29 a 31 de agosto, com uma expectativa de faturamento de R$ 60 milhões em negócios.

 

Salvem o brasileiro

Uma legião de desempregados virando mendigos, idosos também condenados a mendicância… A Amazônia precisou queimar para a dita elite dita brasileira se indignar com Bolsonaro. Proteger a Floresta Amazônica é dever e é obrigação, mas proteger o cidadão brasileiro também.

 

Rápidas

O Almoço do Empresário da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) recebe dia 30 o vice-presidente Hamilton Mourão, a partir de 11h30 *** O Shopping Jardim Guadalupe promove nesta quinta show de samba e MPB com o cantor Leandro Laranja, a partir das 19h *** O livro Aspectos polêmicos do Direito Constitucional luso-brasileiro, organizado pelos advogados Daniel Blume Pereira de Almeida e Thiago Brhanner Garcês Costa, será lançado na biblioteca do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), no Rio, nesta quarta-feira,às 16h *** Em comemoração ao mês em que se festeja o Dia Internacional da Juventude, o Shopping Grande Rio, em parceria com o Sesc RJ, realiza, nesta quarta-feira, às 17h, show gratuito da banda DNA Baixada *** Na Bienal do Rio, uma das apostas da Alta Books é Minimalismo Digital – Para Uma Vida Profunda em um Mundo Superficial, do americano Cal Newport *** O administrador e consultor Fernando Cabral lança na Bienal Avaliação de empresas – e os desafios que vão além do Fair Value (Lura Editorial). Será dia 31, às 12h.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Imposto maior sobre corporações poupa ricaços

Piketty calcula que tributação sobre grandes fortunas poderia render 10 vezes mais.

Governo quer reduzir indústria naval a desmonte de ferro-velho

Deputados cobram a utilização e a inovação do parque industrial instalado no Rio.

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Emirados Árabes e Líbano compraram arroz do Brasil em março

Segundo associação do setor, os dois países estiveram entre os destinos internacionais do arroz brasileiro no mês passado.

Indústria tenta se recuperar no primeiro trimestre

Setor de bebidas se destacou no trimestre, com 53,8% de crescimento no período e 16,7% no acumulado de 12 meses.

China produzirá 3 bilhões de vacinas até fim do ano

Sinovac, que produz a Coronavac, promete entregar 2 milhões de doses.

Rio aumenta incentivo para cultura e esporte

Restituição do ICMS aumenta para 2% e 0,5% .

TCU relata abuso de poder no combate a Covid-19

Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), concluído em abril, mostra que o governo alterou documentos para se eximir da responsabilidade de liderar...
Monitor Mercantil