Por quem os sinos dobram

A lógica do mercado é a margem de lucro da operação.

Mercado financeiro é importante para investir dinheiro, aplicar em ações e operações complexas, mas não pode tutelar a economia de um país, qualquer que seja. Os acontecimentos em Brumadinho são exemplares. Após a Vale anunciar que encerraria operações de barragens similares, as bolsas subiram, com as ações da mineradora recuperando parte do que perderam desde o acidente.

Como a Vale é uma das maiores exportadoras de ferro, e o mercado está em alta, as cotações do metal subiram; a lógica do mercado financeiro não é o impacto na corporação, mas a margem de lucro na operação. É o mesmo que acontece quando uma companhia anuncia milhares de demissões, e as ações sobem com a perspectiva de maior lucratividade.

Não importa se isso reduzirá o mercado de consumo, impactando, em última análise capitalista, as próprias empresas cujas ações estão igualmente nas bolsas de valores. No futuro, distorceriam Keynes, estaremos todos mortos.

Da mesma forma, segue a euforia com as privatizações e a reforma da Previdência. Não porque elas resolverão problemas do Brasil – os últimos quatro anos de políticas neoliberais comprovam – mas porque vão gerar lucros privados.

Brumadinho chora seus mortos e seus empregos. Quem no mercado liga?

 

Não foi desta vez

Os blogs de direita comemoraram a prisão do ex-governador do Paraná Beto Richa. Explica-se: diziam que assim caía por terra a alegação do PT de que a Operação Lava Jato é perseguição política ao partido.

A comemoração ocorreu cedo demais. Encarcerado na sexta (25), foi solto uma semana depois, por decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio Noronha, que ainda concedeu um salvo-conduto que impede Beto Richa e o irmão José Richa Filho de serem presos novamente no âmbito da mesma operação, exceto se houver motivo concreto previsto em lei.

 

Injustiça

A decisão do STJ de soltar o ex-governador Beto Richa torna ainda mais incompreensível a manutenção na prisão do ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão e do prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, culpa ou inocência à parte.

 

Efeito colateral

A decisão da PF e da Justiça do Sul de proibir a ida de Luiz Inácio Lula da Silva ao enterro do irmão Vavá, além de infringir dor pessoal ao ex-presidente, somente serviu para torná-lo vítima aos olhos da opinião pública, especialmente depois que a negativa foi derrubada pelo Supremo. Na manhã desta sexta-feira, as três matérias mais lidas no portal G1 eram sobre o assunto.

 

Pré-sal

A Petrobras comemora o início da produção da plataforma P-67 no campo de Lula Norte, Bacia de Santos. O equipamento, do tipo FPSO, foi projetado para processar até 150 mil barris de petróleo e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

A estatal, operadora, tem 65% do consórcio que explora o campo; 25% são da Shell; a Petrogal tem o restante.

 

Apoio fake

Tudo bem que Ernesto Araújo é da “equipe de distração” do Governo Bolsonaro, mas não pode ministro das Relações Exteriores postar foto de quase 2 anos atrás da Venezuela sugerindo que é uma concorrida manifestação pró Juan Guaidó, que, na realidade, colhe falta de apoio popular.

 

Rápidas

Café & Criminal Compliance” é o tema do evento no Ibef-RJ sobre prevenção de práticas e costumes considerados como ilícitos penais, dia 22, com Gustavo Bastos Salles, sócio do Escritório Bastos-Tigre, Coelho da Rocha e Lopes Advogados, e Leonardo Villarinho, membro do Tribunal de Ética e da Comissão de Prerrogativas da OAB/RJ *** São Paulo vai sediar a I Conferência de Gerenciamento de Áreas Contaminadas, de 2 a 4 de julho. A Geoklock, empresa de consultoria e engenharia ambiental, pertencente ao grupo suíço EBP, chefiará a seção de Tecnologias Inovadoras. O evento é organizado pela Associação Brasileira das Empresas de Consultoria e Engenharia Ambiental (Aesas) *** A Associação dos Advogados de São Paulo (Aasp) oferece gratuitamente a edição atualizada de “Apontamentos sobre o ITCMD no Estado de São Paulo”. O material traz atualizações da legislação estadual e federal sobre o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação em São Paulo. Para baixar: https://aaspsite.blob.core.windows.net/aaspsite/2019/01/ITCMD2019.pdf *** A Cooperativa Maravilha, de costureiras moradoras do Porto Maravilha, zona central do Rio de Janeiro, participa do grupo que produz uniformes da rede municipal de ensino.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Benext lança primeiro serviço de voice commerce no Brasil

Desenvolvida pela startup para Colgate-Palmolive, a loja é integrada com a Amazon e o cliente faz toda a compra por comando de voz.

‘Imortal: Arte, Alma e Futuro’ nesta 5ª feira

Autora do monumento em homenagem a Ayrton Senna expõe 45 peças inéditas no Centro Cultural Correios RJ.

Exposição ‘Enredados’ no Centro Cultural Correios RJ

São seis esculturas e seis pinturas, com 2 metros de altura, abstratas e com metal naval.

Protestos contra a venda da Reman

O Sindicato dos Petroleiros do Amazonas (Sindipetro-AM), filiado à Federação Única dos Petroleiros (FUP), entrou com ação na Justiça contra a venda da Refinaria...

Vale e empresa chinesa buscam descarbonização para a siderurgia

A Vale assinou um Memorando de Entendimento ("Memorandum of Understanding”, ou “MoU”, em inglês) com a chinesa Jiangsu Shagang Group Co., Ltd em que...