Portugal

Um dos integrantes do Piigs (Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha, na sigla em inglês) e uma das vítimas em potencial do efeito-dominó que ameaça arrastar a Europa no rastro da cada vez mais iminente moratória da Grécia, Portugal poderá enfrentar uma explosão social se insistir no caminho de fortes cortes gastos públicos para garantir o pagamento das dívidas com bancos europeus e estadunidenses. O país já convive com o desemprego de 547 mil trabalhadores, número que salta para 738 mil se considerado o desalento – pessoas que desistem de procurar trabalho – e o subemprego. Desse total, apenas 255 mil, menos da metade do total, recebem subsídio de desemprego – calculado sobre 65% da remuneração de referência – e 117 mil o subsídio social de desemprego – calculado sobre o Indexante dos Valores Básicos (IVB), fixado este ano em 419,22 euros.

Precarização
Apesar do desemprego já elevado e suas consequências sociais e sobre o consumo, o aprofundamento da crise deve aumentar as pressões dos setores mais conservadores, dentro e fora do governo, para reduzir o valor do subsídio de desemprego e piorar as condições do “emprego conveniente”, aquele que o desempregado é obrigado a aceitar sob pena de deixar de receber o subsídio de desemprego. Atualmente o desempregado é obrigado a aceitar “emprego conveniente” desde que o salário seja superior em 25% ao subsídio de desemprego nos primeiros seis meses e 10% maior que o subsídio a partir dos seis meses. A intenção, agora, é reduzir esse patamar para 10% superior ao subsídio ao longo dos primeiros 12 meses e, a partir daí, o obrigar o desempregado a aceitar empregos com salário igual ao valor do subsídio de desemprego.

Garoto paulistano
A partir deste mês os sorvetes Garoto estão na capital paulista. Eles podiam ser encontrados no estado, mas apenas no litoral. Os sorvetes da marca também são comercializados no Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro, além de Brasília e Goiânia. A empresa entrou no segmento de sorvetes em 2007, seguindo os passos da multinacional suíça Nestlé, que comprou a fabricante brasileira de chocolates em operação ainda não aprovada pelos órgãos de defesa da concorrência, passados mais de seis anos.

Atleta de Cristo
Depois da grande mobilização que parou a Zona Sul do Rio de Janeiro, no Dia de Tiradentes, a Universal de Deus estaria próxima de fechar a contratação de um grande reforço para seus quadros capaz de garantir, ainda, maior visibilidade à igreja: um boleiro que, pelo menos até o anúncio da lista de Dunga, nesta terça-feira, alimenta esperanças em ir à Copa da África do Sul. Neste fim de semana, especulou-se que a conversão do novo irmão poderia ser feita no sábado, o que, aparentemente, não ocorreu.

Seleção numa fria
Patrocinadora oficial da Seleção Brasileira, a Seara anuncia que estará presente à convocação do time que irá à Copa do Mundo nesta terça-feira, no Rio. Em campo, uma mesa de frios e sanduíches com presunto, salame, peito de frango defumado, entre outros. Para apimentar a solenidade, além da polêmica sobre a convocação de Adriano ou de Ganso, haverá o Hot Hit X-Picanha com ketchup, em embalagem alusiva à Seleção Brasileira de Futebol.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDespesas&despesa$
Próximo artigoO BB já faz

Artigos Relacionados

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Lei determina que estatais respeitem interesse público

Acionistas da Petrobras sabem que ela tem obrigações e bônus por ser de economia mista.

Últimas Notícias

Mais um evento no Rio

Expectativa é receber cerca de mil empresas do setor de supermercados.

Check-up do acerto de contas com o Leão

Por Sandro Rodrigues

A nova revolução do setor contábil

Por Mauricio Frizzarin.

Ceciliano lidera mais uma frente em defesa do Rio

Governo Federal quer desviar térmicas para o Nordeste.