Powell derruba as ações mas favorece a cotação do dólar

Euro e libra têm queda diante das declarações do presidente do Fed.

Acredite se Puder / 17:26 - 17 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A cautela de Jerome Powell com o ritmo de recuperação da economia norte-americana, não tendo anunciado novas medidas de estímulo, alterou o comportamento dos operadores de Wall Street e ajudou a acentuar a tendência altista do dólar, que supera o euro pela terceira sessão seguida. O índice do dólar valoriza 0,2% e a moeda europeia recua 0,37% para US$ 1,1772, alargando assim o ciclo de quedas depois de quatro sessões em alta. O Fed disse que vai manter as taxas perto de zero “até que as condições do mercado de trabalho tenham atingido aos níveis consistentes com as avaliações do comité do pleno emprego e a inflação tenha subido para 2% e esteja no rumo para superar moderadamente os 2% de algum tempo”.

No mercado cambial, a libra recuou 0,06% para US$ 1,2958, no dia em que decorreu a reunião de política monetária do Banco de Inglaterra.

 

CEO da Raynair leva bônus de 458 mil

A Ryanair teve prejuízo de 183 milhões no segundo semestre deste ano e, em agosto, cortou 50% dos voos programados, devido às novas restrições impostas à circulação por parte de vários países por causa do novo surto do coronavírus e, apesar disso, o CEO Michael O´Leary vai receber um bônus de 458 mil. A decisão foi aprovada nesta quinta-feira numa tumultuada assembleia geral de acionistas, com cerca de um terço dos presentes votando contra a atribuição dessa remuneração em momento em que é delicada a situação financeira da empresa. O salário-base de O’Leary e o bônus anual foram reduzidos para metade neste ano, devido à pandemia.

 

Tecnológicas foram maiores perdas da Nasdaq

Os principais índices de Wall Street operaram em baixa nesta quinta-feira, depois que dados mostraram altos níveis de pedidos semanais de auxílio-desemprego, enquanto ações relacionadas a tecnologia voltavam a recuar, com Apple e Amazon.com entre as maiores perdas no Nasdaq. Todos os 11 principais índices setoriais do S&P 500 registravam queda, com as ações de energia liderando as perdas, já que temores sobre uma demanda morna por combustíveis atingiam os preços do petróleo. As ações de bancos operavam em baixa de 1,1%, enquanto o subíndice financeiro mais amplo perdia 1%, um dia após o Federal Reserve se comprometer a não alterar os juros por um período prolongado de forma a tirar a maior economia do mundo de uma recessão induzida pela pandemia.

 

Yduqs bem posicionada para o Bradesco

O Bradesco BBI iniciou a cobertura do setor de educação, recomendando a compra de Arco e de Yduqs e estabelecendo preços-alvo para 2021 de US$ 55 e R$ 46, respectivamente. Para Cogna, Ser e Afya, o rating é neutro e o preço-alvo de Cogna é R$ 6,50; para Ser, é R$ 19, enquanto para Afya é de US$ 29. Para a Anima o aconselhamento é de venda, com preço alvo de R$ 32. Segundo o relatório, a Yduqs está mais bem posicionada para aproveitar o crescimento do ensino a distância e dos cursos premium, pois 14% e 28% da receita da empresa vem de medicina e ensino a distância, respectivamente. Além disso, a empresa tem valuation de 12 vezes PE 2021 (Preço/Lucro), com desconto de cerca de 50% em relação aos concorrentes.

 

Hapvida começa a ficar sem espaço

A Hapvida começa a ficar com espaço limitado para aquisições no Nordeste, de acordo com a avaliação da Ágora. A análise veio após a notícia que o Cade recomendou que a companhia desistisse da aquisição dos ativos da Plamed, operadora de planos de saúde de Sergipe e que conta com aproximadamente 31 mil beneficiários de planos de saúde localizados em maior parte na região de Aracaju e municípios vizinhos. A aquisição proposta consiste na compra apenas da base de beneficiários da Plamed, alguns ativos imobiliários e equipamentos, mas não inclui a estrutura vertical da companhia.

 

IPOs de subsidiárias da Cyrela perdem charme

As ações da incorporadora Plano & Plano estrearam com modesta alta na B3 nesta quinta-feira, e os ganhos foram de apenas 3,19%, cm a cotação em R$ 9,70. Para o IPO a companhia precificou suas ações a R$ 9,40 em sua oferta inicial, valor abaixo da faixa indicativa entre R$ 11,25 e R$ 15,25, mas captou R$ 690 milhões, que serão destinados ao capital de giro. Esse foi mais um IPO da Cyrela que não permitiu que os atuais acionistas ganhassem rios de dinheiro vendendo suas ações no IPO.

Plano & Plano, subsidiária da Cyrela, já passou por vários rebaixamentos. Criada na década de 1990, voltada para imóveis de alta e média renda, sofreu a primeira mudança em 2003, quando passou a atuar também em faixas mais econômicas, aderindo ao plano Minha Casa, Minha Vida, em 2006, virou uma joint venture com a Cyrela e, em 2009, veio a insignificância, passou a operar somente na produção de habitação popular

 

Magazine Luiza não deve pensar nos Correios

Os investidores não gostaram da informação que o Magazine Luiza está interessado em participar da privatização dos Correios. Acham que a empresa vai sair perdendo por se meter numa área que não conhece.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor