Precarizar trabalho prejudica economia

Informalidade tira clientela dos bancos e diminui mercado consumidor.

O ministro Paulo Guedes disse, com todas as palavras, que vai acabar com todos os direitos trabalhistas após a crise detonada pela pandemia. Falou isto em videoconferência com pesos-pesados do comércio. Felizmente, o Senado decidiu colocar uma trava nesse desejo, ao deixar de votar a MP que cria a Carteira Verde e Amarela, que pretendia acabar com o 13º, o adicional de férias e a multa em caso de dispensa injustificada. (Se não mudarem até segunda-feira, pois o fim de semana é propício a pressões, os senadores enterram a MP nesta segunda)

O desenrolar da crise econômica em meio à pandemia deixou nítido que o emprego precário e o trabalho informal deixam não só os trabalhadores mais vulneráveis, mas agravam os problemas na economia. Estudos mostram a baixa produtividade, pouco acesso a serviços bancários e até mesmo documentos irregulares – o que tem dificultado, noves fora a mínima vontade demonstrada pelo Ministério da Economia, a distribuição da renda mínima.

Pesquisas já demonstraram que, com as necessidades básicas – casa, educação, saúde e alimentação – atendidas, o trabalhador rende mais. Em uma economia capitalista, isso significa mais lucro. Até o Financial Times assume que após o coronavírus será necessário reduzir as desigualdades. Remar contra a maré é pretender atrasar o país – e arriscar ser jogado fora do barco.

 

Seguros, automóveis e Covid-19

O seguro de automóvel é o principal ramo comercializado pelos corretores, representando aproximadamente 60% da sua receita. A queda na venda ameaça diretamente os profissionais. O consultor Francisco Galiza, da Rating de Seguros, fez uma projeção das vendas.

Em março, a queda foi de 20%, quando comparado ao mesmo mês do ano anterior, tanto na produção quanto no licenciamento de veículos. “Porém, esse foi um número extraordinário e não deve se repetir ao longo do ano. Tudo sinaliza que o cenário epidemiológico esteja menos crítico daqui a quatro ou cinco meses. Se considerarmos uma queda de 10% a 15% no ano, chegaremos a um patamar de 2,5 milhões de unidades por ano ao final de 2020”, calcula.

Se confirmado, esse valor de 2,5 milhões ao ano representa uma retração, mas seria, pelo menos, melhor do que o mínimo conseguido no final de 2016. Ou seja, em 2020, o setor já teria passado por algo pior, se comparado com 2016. Enfim, não deixa de ser algum consolo”, acena Galiza.

 

União

A Cooperativa Maravilha, que reúne costureiros e costureiras da Região Portuária do Rio de Janeiro, mobilizou integrantes para produzir máscaras, em casa, a fim de ampliar o uso pela comunidade e reduzir o contágio pelo coronavírus. Com o comércio fechado, explicam que estão com dificuldades em obter material para confeccionar e aceitam doações.

 

Gol

O treinador e ex-craque Zico se juntou a diversas personalidades no time solidário da Legião da Boa Vontade (LBV) em apoio às ações da instituição para ajudar a conter o avanço do coronavírus. O ex-jogador de futebol convidou todos a participar dessa mobilização social: “Aqueles que tiverem oportunidade e desejarem ajudar os necessitados, que procurem a LBV. Conheço muito bem o trabalho que eles fazem. Já fiz diversas ações com eles. Gente da maior seriedade e sempre ajudando o próximo. Um grande abraço para todos! Tudo de bom, e vamos ficar em casa”, destacou.

 

Bola de cristal embaçada

Não é que certos analistas não prevejam o futuro. O que eles ainda não enxergam é o passado”. A frase é do cardiologista Michel Batlouni, citado por Joelmir Beting em antiga coluna.

 

Fixação

Bolsonaro nomeou um oncologista para o Ministério da Saúde. Anteriormente, para cuidar da facada em 2018, foi igualmente convocado um oncologista.

 

Rápidas

O STF e a Medida Provisória 936” é o tema da live no Instagram que o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) fará nesta segunda-feira, às 16h, no perfil @iabnacional. O presidente da Comissão de Direito do Trabalho do IAB, Daniel Apolônio Vieira, e o advogado e procurador do Estado aposentado Victor Farjalla debaterão a medida que prevê redução de salários e da jornada de trabalho por meio de acordos individuais *** “Fusões e Aquisições: Como Comprar e Vender Empresas”, seminário online dia 22, das 9h às 10h30, no Ibef-Rio, com Paulo Valente, sócio-diretor da ProFit. Informações em agenda.ibefrio.org.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Empresa pode dar justa causa a quem não se vacinar?

Advogado afirma que companhias são responsáveis pela saúde no ambiente de trabalho.

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

A cabeça do dragão

Por Gustavo Miotti.

Portugueses pedem extensão das moratórias bancárias

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) está pleiteando a prorrogação das moratórias bancárias até 31 de março de 2022”. O...

China libera reservas de metais não ferrosos para reduzir custos

A China disse que continuará a liberar suas reservas estatais de cobre, alumínio e zinco para garantir preços estáveis para as commodities e aliviar...