Preço do diesel é o maior desde janeiro

Custando R$ 6,97 Rio Branco apresenta o S10 mais caro do Brasil

26
Bomba de diesel (Foto: divulgação)
Bomba de diesel (Foto: divulgação)

O diesel comum e o S-10 sofreram aumentos expressivos do preço médio em setembro. As altas foram de 9,9% e 9,2%, respectivamente, em relação ao mês de agosto. No comparativo histórico – desde janeiro de 2017, o preço médio do diesel (S-10 e comum) atingiu em setembro de 2023 seu maior patamar desde janeiro de 2023.

Os dados são do Panorama Veloe de Indicadores de Mobilidade, que aponta que, apesar da alta, o combustível ainda registra queda no acumulado do ano: -4,6% (diesel comum) e -4,2% (diesel S-10). No acumulado dos últimos 12 meses (ou seja, em comparação com dados de setembro de 2022), os preços médios recuaram 10,1% e 9,6% respectivamente.

Os resultados de setembro, em comparação a agosto, revelaram aumentos menores para gasolina comum (2,1%) e aditivada (2,1%), além de ligeiro incremento no preço médio do etanol (0,5%). Dentre os seis combustíveis, a gasolina comum/aditivada é a que sofreu maior aumento no ano: em relação ao final de 2022, a gasolina comum está 16,9% mais cara em setembro de 2023. No caso da variante aditivada, o avanço acumulado é similar (16,2%).

Como resultado, o preço médio da gasolina (seja comum ou aditivada) atingiu em setembro de 2023 seu maior patamar desde julho de 2022.

Espaço Publicitáriocnseg

Regionalmente, os maiores preços por litro da gasolina comum foram encontrados no Acre (R$ 6,753) e em sua capital, Rio Branco (R$ 6,637), em contraste com os menores valores, encontrados no estado de São Paulo (R$ 5,735), bem como nas capitais: Campo Grande (R$ 5,641) e São Luís (R$ 5,654). Em termos de variação mensal, as maiores altas foram observadas em postos sediados nas regiões Sudeste (2,5%) e Centro-Oeste e Norte (2,4%) do país.

Em decorrência do encarecimento da gasolina no ano, o etanol se tornou uma opção mais vantajosa para abastecimento de veículos flex. No acumulado do ano, o preço do combustível acumula uma queda de 4,3%, ante um encarecimento de 15,9% no preço médio da gasolina comum.

O Indicador de Custo-Benefício Flex aponta que o preço médio do etanol correspondeu a 68,4% do valor médio da gasolina, patamar inferior à marca de 70%. Trata-se do menor nível deste indicador desde outubro de 2018, quando marcou 67,9%.

Na média das capitais, essa preferência pelo etanol é ainda mais evidente (67,8%), especialmente em localidades do Sudeste, como São Paulo, com 62,1%, e do Centro-Oeste, como Mato Grosso, com 59,2%.

Já de acordo com análise do Instituto Paulista do Transporte de Cargas (IPTC) comparativa da semana de 17 a 23 de setembro com a semana 24 a 30 eu mesmo mês, foram identificados alguns indicadores relevantes. De acordo com as informações, na comparação da semana as regiões apresentaram pouca variação na precificação do diesel, as movimentações significativas reforçam a importância de monitorar regularmente as flutuações nos preços do combustível, pois mesmo pequenas variações podem ter impactos significativos nos custos operacionais das empresas e no dia a dia dos consumidores.

Em Cuiabá, diminuiu o valor do diesel S-10 em -2,13% atualmente o valor é de R$ 6,43. Maceió, aumentou o diesel comum em 2,69% chegando ao custo de R$ 6,10. Manaus mostrou aumento no combustível. O S-10 elevou em 3,02% (valor atual: R$ 6,48). Em Porto Alegre também houve aumento do diesel comum em 4,21% custando a R$ 6,19. Já São Paulo, diminuiu o valor do comum em -1,18% e seu custo atualmente é de R$ 5,88.

Segundo Ricardo Henrique, analista de dados do IPTC, a última semana demonstrou uma estabilidade na variação dos preços do diesel, embora tenha mantido a tendência de aumento.

“A atual tendência de estabilidade observada em algumas regiões pode persistir nas próximas semanas, o que pode reduzir a preocupação em relação a aumentos significativos nos preços dos combustíveis, como os recentemente anunciados pela Petrobras. É importante destacar que, devido à falta de dados disponíveis, não foi possível realizar uma análise abrangente da variação de preços em todas as capitais.”

Analisando individualmente, hoje, a capital brasileira com diesel mais caro é Rio Branco, com os seguintes valores: diesel S-10 em R$ 6,97 e o comum em R$ 6,90. João Pessoa, apresenta o combustível mais em conta, com o S-10 custando R$ 6, e o diesel comum em R$ 5,78.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui