Preço dos medicamentos subiu 3,57% em abril

Comportamento coincidiu com a entrada em vigor dos reajustes anuais de até 10,89% nos preços dos medicamentos estabelecidos pela CMED.

Os preços dos medicamentos vendidos aos hospitais no Brasil registraram alta de +3,57% em abril deste ano, de acordo com o Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H), indicador desenvolvido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em parceria com a healthtech Bionexo. O resultado representa a quinta alta seguida do índice frente aos meses anteriores: dezembro de 2021 (+0,19%), janeiro de 2022 (+0,27%) e fevereiro de 2022 (+0,64%), março (+0,87%). Em relação a outros índices e variáveis, a elevação mensal do IPM-H (+3,57%) superou a expectativa de mercado para o IPCA/IBGE (+1.06%), o comportamento do IGP-M/FGV (+1,41%) e da taxa de câmbio (-4,23%).

Para Rafael Barbosa, CEO da Bionexo, a elevação mais expressiva em abril já era esperada por conta dos reajustes anuais nos preços dos medicamentos (de até 10,89%), segundo regulamentação da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

“Este reajuste proposto pela CMED segue a sequência de 2021, com dois anos subsequentes acima de 10%, algo sem precedentes na série histórica. No entanto, a variação observada pelo IPM-H indica que este percentual de 2022 não foi inteiramente incorporado nos preços praticados, o que é uma boa notícia para o consumidor de produtos e serviços em saúde. Seguramente o arrefecimento da pandemia possibilitou cenários mais previsíveis e coesos de demanda e oferta, logo maior estabilidade nos preços”, avalia o executivo.

A variação positiva do índice em abril foi impactada pelos grupos de aparelho geniturinário (+15,80%); sangue e órgãos hematopoiéticos (+9,57%); agentes antineoplásicos (+8,97%), sistema musculoesquelético (+4,86%); imunoterápicos, vacinas e antialérgicos (+3,19%); aparelho respiratório (+3,18%); órgãos sensitivos (+2,91%); anti-infecciosos gerais (+2,85%), preparados hormonais (+1,98%); e aparelho cardiovascular (+1,45%). Em contraponto, foram registradas quedas nos preços de medicamentos em apenas dois grupos: sistema nervoso (-9,91%) e aparelho digestivo e metabolismo (-3,33%).

No acumulado de 2022 (janeiro a abril), o IPM-H registra uma alta de 5,42% – resultado que supera a variação acumulada pelo IPCA/IBGE (+4,29%) e pela taxa de câmbio nesse horizonte (-15,81%). Por outro lado, o índice calculado pela Fipe com base em transações na plataforma Bionexo apresentou um comportamento inferior ao do IGP-M/FGV no período (+6,98%).

Já nos últimos 12 meses, encerrados em abril de 2022, o IPM-H acumula uma queda de 1,72%, divergindo do comportamento dos índices de preço da economia doméstica no período, notadamente o IPCA/IBGE (+12,13%) e o IGP-M/FGV (+14,66%). A queda do índice é impulsionada nesse horizonte pelos recuos nos preços de medicamentos dos grupos: aparelho cardiovascular (-20,73%); aparelho digestivo e metabolismo (-19,87%); anti-infecciosos gerais para uso sistêmico (-18,57%); sistema musculoesquelético (-8,32%) e sistema nervoso (-6,35%). Em contraste, foram registrados aumentos nos preços de medicamentos atuantes sobre: aparelho geniturinário (+19,36%); imunoterápicos, vacinas e antialérgicos (+13,43%), sangue e órgãos hematopoiéticos (+13,37%), aparelho respiratório (+10,56%), preparados hormonais (+10,01%), órgãos sensitivos (+9,48%) e agentes antineoplásicos (+1,14%).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Cana: safra começa com qualidade e produtividade inferiores à anterior

Indicadores de qualidade e produtividade em abril são negativos, mas clima pode contribuir para a recuperação.

Ford anuncia venda da fábrica de Taubaté

No ano passado, montadora anunciou o fim de suas atividades no país.

Carga de energia aumentou 2,2% em abril ante 2021

ONS: Subsistema Sudeste/Centro-Oeste registra variação positiva de 4,8%.

Últimas Notícias

Itália é o segundo país europeu que mais vende alimentos ao Brasil

Portugal lidera ranking; Brasil também tem nichos de mercado para alimentos da Jordânia.

Cana: safra começa com qualidade e produtividade inferiores à anterior

Indicadores de qualidade e produtividade em abril são negativos, mas clima pode contribuir para a recuperação.

Ford anuncia venda da fábrica de Taubaté

No ano passado, montadora anunciou o fim de suas atividades no país.

Títulos chineses detidos por instituições estrangeiras diminuem

Instituições estrangeiras diminuíram suas participações em títulos interbancários chineses, segundo um relatório divulgado pela sede do Banco Popular da China em Shanghai.

Operações financeiras de Shanghai estão estáveis apesar da epidemia

O centro financeiro da China, Shanghai, conseguiu manter suas operações financeiras estáveis apesar do recente ressurgimento da COVID-19.