Preços ao consumidor da China permanecem moderados

Os preços ao consumidor da China permaneceram em um nível moderado em fevereiro, enquanto a inflação dos preços na saída da fábrica apresentou uma amenizada, porém os analistas pedem alerta máxima sobre os riscos futuros diante das volatilidades no ambiente externo.

Um trabalhador em uma fábrica em Hangzhou, na Província de Zhejiang, leste da China, em 1º de janeiro de 2022. (Hu Jianhuan/Xinhua)

Xinhua - Silk Road

Beijing, 10 mar (Xinhua) — Os preços ao consumidor da China permaneceram em um nível moderado em fevereiro, enquanto a inflação dos preços na saída da fábrica apresentou uma amenizada, porém os analistas pedem alerta máxima sobre os riscos futuros diante das volatilidades no ambiente externo.

O índice de preços ao consumidor (IPC) da China, um dos principais indicadores da inflação, subiu 0,9% anualmente em fevereiro, o mesmo nível de crescimento do mesmo período no ano passado, informou o Departamento Nacional de Estatísticas (DNE) nesta quarta-feira.

Em termos mensais, o IPC subiu 0,6% devido à crescente demanda alimentar durante a Festa da Primavera, que caiu em fevereiro este ano, juntamente com as flutuações nos preços globais da energia, observou Dong Lijuan, estatística sênior do DNE.

Os preços de alimentos aumentaram 1,4% em relação ao mês anterior, elevando a inflação mensal ao consumidor em 0,26%, de acordo com os dados.

Os preços para os produtos de consumo industrial subiram 0,8% ante janeiro, impulsionados pelos altos custos globais de energia. Os preços da gasolina, do diesel e do gás de petróleo liquefeito subiram 6,2%, 6,7% e 1,3%, respectivamente.

O IPC núcleo, que exclui preços de alimentos e de energia, ganhou um aumento anual de 1,1%, diminuindo em relação ao aumento de 1,2% em janeiro.

A China tem estabelecido a sua meta de IPC em cerca de 3% para 2022, de acordo com um relatório de trabalho do governo apresentado em 5 de março à legislatura nacional para deliberação.

Dadas as políticas eficazes do governo para estabilizar a oferta de commodities a granel, a China deve manter a inflação dentro de uma faixa controlável, porém é necessária observar a tendência futura de perto, comentou Wen Bin, analista-chefe do China Minsheng Bank.

Diversos fatores, incluindo o aumento da inflação global e a saída gradual das políticas de flexibilização dos países desenvolvidos, acumulariam incertezas sobre as inflações globais e domésticas, disse Wen.

Dados da quarta-feira também mostrou o índice de preços ao produtor (IPP) da China, que mede os custos dos produtos na saída da fábrica, que teve um aumento anual de 8,8% em fevereiro,

O número foi moderado em relação ao aumento anual de 9,1% registrado em janeiro deste ano, segundo dados da DNE.

Em termos mensais, o IPP subiu 0,5% por causa da subida dos preços do petróleo bruto e dos metais não ferrosos.

O IPP da exploração de petróleo teve um aumento mensal de 13,5%, enquanto o de processamento de metais não ferrosos subiu 2% em relação ao mês anterior.

Apesar da desaceleração do crescimento do IPP, o índice permaneceu em um patamar elevado, o que pode repassar a pressão inflacionária para o mercado consumidor, alertou Wen. Fim

Leia também:

Os preços de gasolina e diesel aumentarão na China

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Comércio da China com países do Cinturão e Rota registra crescimento

Os laços econômicos e comerciais da China com os países ao longo do Cinturão e Rota se fortaleceram significativamente na última década, afirmou Sheng Qiuping, vice-ministro do Comércio da China, nesta sexta-feira.

Produção de chá eletrificada impulsiona indústria de chá na China

A produção de chá eletrificada na Província de Hunan, na região central da China, um dos setores de eletrificação rural promovidos pela State Grid Hunan Electric Power Co., Ltd., está ajudando a indústria local de chá a prosperar em uma forma de produção mais verde e eficiente.

JD.com acompanha sua receita líquida crescer 18% no primeiro trimestre

A gigante do comércio eletrônico da China, JD.com, observou sua receita líquida aumentar 18% ano a ano no primeiro trimestre deste ano, informou o China Securities Journal.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais