Prefeitura de Niterói lança plano de recuperação do setor marítimo

Objetivo é retomar a geração de emprego e prosperidade do setor.

Rio de Janeiro / 18:14 - 5 de dez de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

 

A secretária municipal de Fazenda de Niterói, Giovanna Victer, anunciou na sede da Firjan-Niterói, no Centro, que a Prefeitura vai colocar em prática um plano de ativação econômica da atividade marítima do município. Batizado de PoloMar Niterói, o plano é dividido em quatro pontos principais, óleo e gás, marítimo, portuário e pesca, e objetiva retomar a geração de emprego e prosperidade do setor.

Uma das principais iniciativas do plano é a dragagem do canal de São Lourenço. O prefeito Rodrigo Neves (PDT), que acompanhou a apresentação, destacou que a Prefeitura já pagou pelo estudo de viabilidade da dragagem e está disposta a financiar a obra. “Nós temos o compromisso de realizar essa obra, que é fundamental para Niterói. A dragagem do canal de São Lourenço por si só já seria uma grande conquista, mas ela está inserida em uma estratégia de desenvolvimento. Vamos ter a PPP para implementar o terminal pesqueiro, fechamos um grande acordo de cooperação com a UFF com foco em pesquisas relacionadas à economia do mar e inovação. Eu não tenho dúvidas de que será um sucesso, como outras estratégias que a gente colocou em prática”, afirmou o prefeito. Rodrigo Neves mencionou iniciativas como a Lei de Hotéis, o Polo Gastronômico, o incentivo às cervejarias artesanais e o plano para a expansão da rede privada de saúde na cidade.

A secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer, apresentou o projeto da Frente Marítima de Niterói para os empresários. O plano prevê a dragagem do Canal de São Lourenço, a criação de programas de qualificação técnica para o setor, a promoção comercial para atração de fornecedores e rodadas de negócios, editais para o desenvolvimento de tecnologias para o setor marítimo, portuário, pesqueiro e de óleo e gás, a requalificação urbana, de infraestrutura e dos acessos à Ilha da Conceição, e a implementação do terminal pesqueiro. A expectativa com o projeto é que, até 2030, a taxa de emprego na cidade tenha um crescimento de 2,8% ao ano, superior à média do país.

“Tenham a certeza de que nós vamos tirar esse projeto do papel. O nosso objetivo é mostrar que Niterói tem visão de futuro, gestão profissionalizada, legitimidade política e uma coesão interna que garante investimentos. E sempre levando em consideração que essa é uma gestão que se preocupa com as pessoas, com o valor do desenvolvimento social e com a redução das desigualdades”, disse Giovanna Victer.

Desenvolvido com a participação do presidente da Niterói Negócios, Marcelo Haddad, e com o apoio do economista Mauro Osorio, o PoloMar Niterói mapeou oportunidades e desafios do setor para o atual cenário econômico. Entre as suas premissas estão a geração de empregos e prosperidade para o município, a revitalização do polo logístico, industrial e de serviços da frente marítima da Baía de Guanabara e a construção de um legado econômico indutor de desenvolvimento, com adensamento produtivo, promoção de negócios e atração de novos fornecedores.

O presidente da Firjan-Niterói, Luiz Caetano, disse que o plano vai resgatar um setor importante, ajudando no desenvolvimento regional. “Esse plano vem resgatar um tema muito importante para a cidade, com reflexos positivos na construção civil, na prestação de serviços, na educação. É uma oportunidade ímpar graças à visão estratégica do prefeito e de sua equipe de governo”, disse Luiz Caetano.

O professor Mauro Osório, que participou da elaboração do plano, disse que a retomada das atividades marítimas vai trazer renda para o município e gerar empregos. “Niterói precisa de atividades que atraiam renda nova para o município. Fizemos estudos que mostram que a retomada das atividades marítimas pode fazer isso. Cidades logísticas, como Niterói, têm um dinamismo econômico extremamente grande. Esse plano vai ser uma oportunidade única nos próximos 10 anos, porque o pré-sal vai ter um crescimento bem maior e o lugar mais privilegiado para ser uma base marítima para atender o pré-sal é Niterói”, disse.

O secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão, Axel Grael, lembrou que Niterói tem uma tradição voltada para o esporte e atividades econômicas ligadas diretamente ao mar. “Niterói tem toda uma tradição vinculada a atividade marítima e sedia a esquadra da Marinha do Brasil e toda a sua equipe que trabalha na área de pesquisa oceanográfica do pais. Niterói é uma das poucas cidades que têm o mar dentro do seu cotidiano, sendo conhecida como a cidade da vela. Temos toda uma tradição de esportes e atividades econômicas voltadas para o mar. Por isso, esse projeto de incentivo à retomada do setor reconhece essa vocação da cidade, além de recuperar emprego e atividade econômica da cidade, disse.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Luiz Paulino, destacou que a dragagem do Canal de São Lourenço vai ajudar na retomada do setor pesqueiro e inclui o Mercado Municipal Feliciano Sodré entre as obras importantes da administração para o desenvolvimento econômico de Niterói.

“Temos três projetos que são prioritários: o Mercado Municipal, a dragagem do canal de São Lourenço e o terminal pesqueiro. São projetos aguardados há muitos anos pelo niteroiense e estão na mesma região da cidade. A dragagem do canal vai possibilitar, além da retomada do setor naval, que barcos de pesca de grande porte cheguem ao terminal pesqueiro”.

O deputado estadual Paulo Bagueira (Solidariedade) elogiou o projeto e destacou sua importância para o desenvolvimento econômico da cidade. “Quero ser o canal de comunicação de vocês com o Estado. Esse projeto demonstra a preocupação e todo o conhecimento que o prefeito Rodrigo Neves e sua equipe têm com a cidade. Não há dúvida de que será um sucesso”.

O presidente da Câmara de Vereadores de Niterói, Milton Cal (PP), morador da Ilha da Conceição, lembrou que seu bairro será um dos mais beneficiados com os investimentos. “É muito importante que a dragagem saia do papel imediatamente. Isso vai gerar muitos empregos para a cidade, tanto na área de estaleiros quanto para o setor pesqueiro. A Ilha da Conceição terá de volta seus tempos de glória”.

Também participaram do lançamento o deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), e a vereadora Verônica Lima (PT), presidentes, respectivamente, da Frente parlamentar estadual e Frente parlamentar municipal em Defesa da Indústria Naval, entre outras autoridades.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor