A preferência por Temer

A proximidade da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff acelera mecanismos para tentar garantir a aprovação e a manutenção do Governo Temer. Na parte menos pública, aumenta a farta distribuição de verbas e cargos no Congresso, inclusive para processados na justiça. No lado mais visível, intensifica-se a batalha midiática para tornar palatável o governo interino. Neste campo, o jornalista britânico radicado no Brasil Glenn Greenwald (um dos que divulgou os documentos vazados por Edward Snowden) acusa a Folha de S.Paulo de “fraude jornalística”.

A grave acusação é baseada na manchete em que o jornal paulista, divulgando pesquisa do Datafolha, afirmava que “50% dos brasileiros acreditam que a permanência de Temer seja melhor para o país”, ante 32% que defendiam a permanência de Dilma. Em entrevista ao Intercept, site de Greenwald, Luciana Schong, do Datafolha, “insistiu que foi a Folha, e não o instituto de pesquisa, quem estabeleceu as perguntas a serem colocadas. Ela reconheceu o aspecto enganoso na afirmação de que 3% dos brasileiros querem novas eleições ‘já que essa pergunta não foi feita aos entrevistados’. Luciana Schong também conta que qualquer análise desses dados que alegue que 50% dos brasileiros querem Temer como presidente seriam imprecisos, sem a informação de que as opções de resposta estavam limitadas a apenas duas”.

A pesquisa foi a primeira do instituto sobre o impeachment após a posse de Temer. Greenwald achou estranho que apenas 3% apoiassem novas eleições, quando na pesquisa anterior 79% defendiam que o Brasil fosse às urnas. É irreal uma tal mudança de humor em pouco mais de dois meses, ainda mais em um governo interino que perdeu quatro ministros por problemas com a justiça e que só fala em sacrifícios. A resposta veio quando foi divulgada a pergunta feita aos entrevistados, que dava apenas duas opções: Dilma retornar à Presidência ou Temer continuar como presidente até 2018.

Até o Fundo Monetário Internacional embarcou no oba-oba ao falar em menor queda do PIB este ano e leve crescimento em 2017. Não há nada nos dados (infelizmente) que permita acreditar nesta projeção. Apenas um efeito estatístico, após dois anos de severa retração na economia, permitiria uma alta ano que vem. Uma pequena melhora poderia ser creditada às benesses concedidas por Temer para angariar apoio junto a governadores. Porém, sem demanda, não há garantia de investimentos à vista.

Sacrifício

A decisão anunciada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) na taxa básica de juros, de manter os juros nos estratosféricos 14,25% atuais, prejudica as campanhas salariais do segundo semestre e fortalece o aumento do desemprego. Infelizmente, o governo continua sacrificando o crescimento econômico, estrangulando a produção e frustrando a geração de postos de trabalho.”

A forte declaração é do aliado do governo interino Paulo Pereira da Silva, Paulinho, presidente da Força Sindical.

Liberação

Com a greve da Receita Federal, o escritório Zaroni Advogados tem impetrado mandados de segurança para seus clientes com o objetivo de fazer com que o órgão dê andamento regular às análises dos pedidos de importação ou exportação. O sócio-fundador do escritório, Bruno Zaroni, explica que, a partir dos mandados, a análise tem início imediato, e a liberação pode sair em poucos dias.

Laudo

Termina nesta quinta o prazo estipulado pela Anvisa para entrada em vigor da RDC 30/2015. Esta resolução determina o uso de certificação digital nas assinaturas dos laudos emitidos pelos laboratórios. Espera-se com isto elevar o nível de segurança dos resultados dos exames, responsáveis por mais de 70 % das informações para a tomada das decisões médicas.

Rápidas

João Dória Jr. (PSDB) é o segundo participante do ciclo de debates com pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo promovido pelo Secovi-SP. O evento acontece nesta sexta-feira *** O Instituto Masan, a Frescatto e Furnas realizam um evento em comemoração aos 20 anos da conquista do primeiro ouro olímpico feminino brasileiro. A festa acontece no próximo sábado, a partir das 11h, na Praia de Ipanema, com entrada gratuita. Participarão as campeãs Sandra Pires e Jacqueline Silva *** As duas jogadoras de vôlei de praia, junto com os atletas Flávio Canto (judô) e Rosinha dos Santos (arremesso de peso), apoiam a campanha “Eu vou participar dos Jogos. Eu sou Doador no Rio 2016”, lançada pelo Hemorio *** Após mais de dez anos de atuação como representante legal de empresas como Tegma e ThyssenKrupp, Marcio Barandas será o novo diretor de serviços jurídicos da operadora logística Panalpina Brasil *** O economista Marcos Coimbra faz palestra sobre “Plano Nacional de Desenvolvimento” dia 28 próximo, no Clube Militar (Av. Rio Branco, 251 – 18º andar, Centro, Rio de Janeiro – RJ). A realização é da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg). Inscrições: (21) 2262-6400 ou adesg@adesg.org.br

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

IGP-M acumula inflação de 28,94% em 12 meses

Segundo FGV, taxa ficou em 2,53%, em fevereiro, após registrar 2,58% em janeiro.

Confiança do comércio tem leve alta em fevereiro

Segundo a FGV, é a primeira alta depois de quatro quedas consecutivas.

Balanço melhor que o esperado da Petrobras anima mercado nacional

Hoje, no exterior, Bolsas mundiais operam sem direção única.

O futuro está nas criptomoedas?

Quarta foi de intensa volatilidade nos mercados externos; por aqui com justificativa, ainda em função do imbróglio de Petrobras e Eletrobras.

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.