Presente grego

Embora os bancos franceses (US$ 55,7 bilhões) e alemães (US$ 21,4 bilhões) sejam os mais expostos à anunciada moratória da Grécia, chama a atenção o volume de papéis gregos em mãos do sistema financeiro de Portugal. Com um Produto Interno Bruto (PIB) de pouco menos de US$ 230 bilhões, o país segura um “mico” de US$ 10 bilhões em papéis da impagável dívida pública grega. Isso significa que 4,3% do PIB lusitano está pendurado no futuro da Grécia.

Petrobrasfobia
O recorte escolhido pela imprensa tupiniquim para tratar da investida da Argentina contra o cartel das petrolíferas naquele país é um caso exemplar do jornalismo aqui praticado. Naquele país, uma única empresa, a RepsolYFP – beneficiada pela privataria do anos Menem – detém 65% do mercado. Somada à Shell (20%) – conhecida por suas ações contra o governo local – concentram 85% do setor de atacado. A Petrobras tem apenas 6%, mesma fatia de Esso e Oil. Ou a imprensa tupiniquim quer galgar a estatal brasileira ao cartel das ex-sete irmãs ou é mais uma demonstração da sua recorrente Petrobrasfobia.

CPI
Amaury Ribeiro Jr. lança o livro A Privataria Tucana no Rio de Janeiro nesta quarta-feira. A obra, apesar do boicote da imprensa de grande circulação, é uma das mais vendidas desde o final do ano passado. O jornalista revela que o Governo Federal administrado pelo PSDB assumiu dívidas de empresas privadas e que o programa foi um desastre para os cofres públicos. O lançamento, no Sindicato dos Bancários (Presidente Vargas, 502/21º andar), a partir das 18h30, será também um ato de apoio à criação da CPI das Privatizações, proposta do deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), que deve estar presente.

Feliz ano novo
Nos dois primeiros meses do ano deve aumentar em 30% o número de acessos ao portal de relacionamentos evangélico www.AmorEmCristo.com. O movimento, observado nos anos anteriores, mostra que, entre as resoluções de ano novo, está a de conseguir um par romântico.
Pensando em atender à expectativa, o portal lançou novo layout. Com pouco mais de 1,5 milhão de cadastrados e mais de 400 mil acessos únicos mensalmente, o site permite uma busca segmentada por amizades, namoro e experiências cristãs. Internautas com idade entre 20 e 35 anos, 60% mulheres, compõem o perfil dos que mais acessam. São Paulo concentra o maior número de cadastros, seguido pelo Rio de Janeiro.

Para não afundar
Independentemente de a culpa pelo acidente com o Costa Concórdia ficar exclusivamente na conta do capitão Francesco Schettino, já passou da hora de as autoridades brasileiras  monitorarem esse tipo de navegação no país. Sob o álibi de que muitas das companhias são estrangeiras e deveriam obedecer apenas à legislação internacional, o país se omite da fiscalização, de condições de higiene às condições de trabalho, que, devido à sobrecarga excessiva, pode ter implicações, também, na segurança.

Relações carnais
“Durante a crise global, em 2008-2009, cerca de 352 bilhões de narcodólares foram injetados em grandes bancos mundiais, para evitar problemas críticos de escassez de liquidez; depois, esse dinheiro foi usado para empréstimos interbancários. (…)” A declaração, reproduzida pelo boletim eletrônico Resenha Estratégica, foi feita por Antonio Costa, ex-subsecretário-geral das Nações Unidas e diretor-executivo do Gabinete de Drogas e Crime da ONU (ODC).
Ele denuncia que não é um problema de bancos individuais, mas de todo o arranjo geral do sistema financeiro mundial. Não se trata de uma pessoa curiosa no assunto: Costa é um experiente banqueiro internacional e foi, durante dez anos, secretário-geral do Banco Europeu para Reconstrução e Desenvolvimento.

Drogas
O relatório do Gabinete de Drogas e Crime da ONU estima os fluxos totais de dinheiro sujo do crime organizado em mais de US$ 1 trilhão, e nada menos que 70% desse dinheiro é lavado por meio de instituições financeiras. O setor mais destacado dessa economia do crime é o tráfico de drogas, que representa pelo menos a metade de todos os fluxos criminosos globais.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFábrica da AAA
Próximo artigoSocialismo de mercado

Artigos Relacionados

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Últimas Notícias

Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A...

ABBC: Selic deve subir 1,50 ponto percentual

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne na próxima terça-feira (7) para decidir sobre a nova Selic, a taxa básica...

Ibovespa fecha a semana em alta

(alta de 0,013%). O volume representou uma extensão do movimento positivo registrado na quinta-feira (2), quando o índice fechou com forte alta de 3,66%,...

China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A...

Brasileiro teria renda 6 vezes maior com indústria forte

Entre 1950–70, PIB do País foi multiplicado por 10.