Prévia de aumento da inflação surpreende mercado

O mercado esperava algo abaixo, mas o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), uma prévia da inflação oficial, teve alta de 1,17% em novembro, 0,03 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa registrada em outubro (1,20%).O acumulado no ano foi de 9,57% e, em 12 meses, de 10,73%, acima dos 10,34% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em novembro de 2020, a taxa havia sido de 0,81%.
O resultado representa a maior variação para o mês desde 2002, quando o índice ficou em 2,08%. Todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta em novembro. A maior variação (2,89%) e o maior impacto (0,61 p.p.) vieram dos Transportes. Em seguida, vieram Habitação (1,06%) e Saúde e cuidados pessoais (0,80%), com impactos de 0,17 p.p. e 0,10 p.p., respectivamente. Juntos, os três grupos contribuíram com 0,88 p.p. no IPCA-15 de novembro, o equivalente a cerca de 75% do índice do mês. Vestuário (1,59%) teve a segunda maior variação no mês e o grupo Alimentação e bebidas (0,40%) desacelerou em relação a outubro (1,38%). Os demais grupos ficaram entre o 0,01% de Educaçãoe o 1,53% de Artigos de residência.
Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial Investimentos, disse que o resultado veio ligeiramente acima do consenso esperado pelo mercado, maior alta desde 2002. “Deve ter sim aumento no curto prazo nas apostas de aumento de Selic entre 1,5 e 2%”, acredita. Ele prevê que teremos o mercado pressionando as curvas de juros de curto prazo para cima. A variação anual está acima das expectativas. Com a gasolina acumulando alta de 48% em dois meses, o resultado dos transportes foi fortemente impactado e apresentou uma variação de 2,89%.
“Esse peso mostra que se o petróleo não cair e o dólar não ceder, teremos uma dificuldade no controle da inflação cada vez maior. Com o custo de transporte aumentando, o repasse para os preços vai acontecer. Isso é um problema que precisa ser resolvido”, analisou.

Altas sucessivas

O economista Alexsandro Nishimura, head de conteúdo e sócio da BRA, também comentou que o IPCA-15 de novembro veio ligeiramente acima das expectativas (1,17% vs 1,13% do consenso). “O índice já acumula alta de 9,57% em 2021 e, em 12 meses, de 10,73%. Houve um aumento da difusão da alta de preços, para 65,67%, e todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta em novembro, com maior peso para Transportes”, citou.
Para o economista, não houve tanto impacto na curva de juros, que abriu em baixa, ainda repercutindo o tom mais dovish do presidente do Banco Central durante discurso ontem (quarta-feira) e também pela melhor perspectiva de avanço nas negociações da PEC dos Precatórios.
Na opinião de Nishimura, o dado vem em linha com a perspectiva do mercado, que tem aumentado constantemente as projeções para o IPCA deste ano e os próximos, com riscos para a meta de 2022, quando já temos expectativas no limite da meta, e para 2023, quando as projeções já estão no centro da meta.

Grupos impactados

Todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram alta em novembro. A maior variação (2,89%) e o maior impacto (0,61 p.p.) vieram dos Transportes. Em seguida, vieram Habitação (1,06%) e Saúde e cuidados pessoais (0,80%), com impactos de 0,17 p.p. e 0,10 p.p., respectivamente. Juntos, os três grupos contribuíram com 0,88 p.p. no IPCA-15 de novembro, o equivalente a cerca de 75% do índice do mês. Vestuário (1,59%) teve a segunda maior variação no mês e o grupo Alimentação e bebidas (0,40%) desacelerou em relação a outubro (1,38%). Os demais grupos ficaram entre o 0,01% de Educação e o 1,53% de Artigos de residência.

Randolpho De Souza
Editor de Seguros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Exportação de sucata ferrosa cresceu 43% em abril

Preços se acomodaram; após pressão forte no mercado em função da guerra e da China, tendência é de normalização no Brasil.

B3 lança primeiro índice de empresas do agronegócio

Carteira reúne ações e units de companhias do setor

Petrobras: Submissão a preço internacional completa seis anos

Mesmo com extração, refino e consumo internos

Últimas Notícias

Exportação de sucata ferrosa cresceu 43% em abril

Preços se acomodaram; após pressão forte no mercado em função da guerra e da China, tendência é de normalização no Brasil.

Correspondentes bancários são punidos por irregularidade em consignado

Sidney: 'assédio comercial leva ao superendividamento do consumidor; isso não interessa a ninguém, nem ao consumidor nem aos bancos'.

Inadimplência cresce e atinge 61,94 milhões de brasileiros

Número de inadimplentes no país teve crescimento de 5,59% em comparação a abril de 2021; média das dívidas é de R$ 3.518,84.

Inflação permaneceu elevada em todas as faixas de renda em abril

Variação foi entre 1% para famílias de renda mais alta e 1,06% para mais baixas; dinheiro é maior preocupação de três em quatro brasileiros.

Mercados globais operam no negativo com dados decepcionantes de China

Notícias de Xangai e IBC-Br também ficam no radar.