Primeiro dia de Copom, balanços e volatilidade

Em NY, fôlego ainda é limitado por falta de consenso sobre pacote fiscal e avanço da Covid principalmente na Zona do Euro.

Opinião do Analista / 11:55 - 27 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O dia de hoje amanhece com o aguardo, por parte de investidores e agentes econômicos, de alguns balanços de grandes empresas em âmbito global. Apesar de alguma recuperação tentar se materializar nos mercados futuros de Nova Iorque, o fôlego ainda é limitado pela falta de consenso acerca do pacote fiscal norte-americano e do avanço da Covid-19 principalmente na Zona do Euro. Pousando em solo pátrio, todas as atenções se voltam para o primeiro dia de reunião do Comitê de Política Monetária. Partindo do pressuposto de que o comportamento no cenário externo se encontra misto, os ativos locais podem apresentar maior volatilidade nesta terça-feira. Especificamente nos juros, a oscilação provavelmente será moderada frente ao que será verbalizado pelo Copom sobre a conjuntura fiscal do país. Em última análise, na esfera política, pesquisas realizadas mostram de forma numérica que a popularidade do presidente da República, Jair Bolsonaro, revela-se forte perante às negociações com o Congresso Nacional. Todavia, ainda no âmbito em questão, verifica-se que, caso o auxílio-emergencial não for estendido para 2021, tal popularidade deva recuar.

.

Pedro Molizani

Trader Mesa de Câmbio

Travelex Bank

www.travelexbank.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor