Problema cinqüentenário

“Os fretes representam um dos maiores ônus na balança de pagamentos do Brasil. Para se ter uma idéia, em 1948 despendeu o nosso País, somente com fretes cerca de US$ 180 milhões. No primeiro semestre de 1949, o total atingiu quase US$ 70 milhões. Daí a decisão do Governo de adotar o sistema de pagamento em moeda nacional, a exemplo do que vinham fazendo vários países. Com a medida, a previsão é de uma economia superior a US$ 12 milhões.” Não, o leitor não leu as datas errado. A nota foi retirada da coluna “Há 50 anos” de O Globo. Cinqüenta anos depois, o déficit do País com fretes chega a cerca de US$ 5 bilhões, representando quase 20%, mas o jornal preferiu apoiar a abertura da navegação mercante, condição negada até pelos Estados Unidos a seus concorrentes comerciais.
Alternativa bloqueada
O fortalecimento da Frota Nacional dos Petroleiros (Fronape) poderia ajudar a amenizar a pressão do frete sobre o déficit em transações correntes. Mais antiga unidade operacional da Petrobras, a Fronape acumula cerca de 60 navios petroleiros e aproximadamente três milhões de toneladas de porte bruto, responsáveis pelo transporte de petróleo e seus derivados, na cabotagem e longo curso. A Fronape movimenta anualmente 100 milhões de toneladas. A empresa, porém, está sob ameaça de perder um de seus ativos mais importantes. Sua mão-de-obra altamente qualificada está sendo pressionada, segundo denuncia o deputado federal Ricardo Maranhão (PSB-RJ), a migrar para a Gerenciadora Empresarial de Navios (GEN).
De acordo com Maranhão, a GEN será controlada pela suíça Acomarit, passando a atuar como locadora de mão-de-obra. Espera-se que as negociações com a direção da empresa surtam resultado, evitando que se espere mais 50 anos para constatar os efeitos de mais esse torpedo contra nossa marinha mercante.

Dobradinha
A notícia que agências de notícia se encarregaram de difundir de que Pitta tenta montar uma aliança com Itamar Franco – o governador de Minas apoiaria a reeleição do prefeito de São Paulo e estudaria uma chapa Itamar/Pitta para as eleições presidenciais de 2002 – pode ser enquadrada em duas categorias: ou é sonho dos amigos mais fiéis a Pitta ou intriga dos (muitos) inimigos de Itamar. De concreto, a reunião que ocorreu entre os dois, ontem, em BH.

Heterodoxo
Além de truculenta, a ação da PM no fim de semana no Recreio contra a prática de topless abandonou antigo chavão da corporação: o popular mãos ao alto! Dependendo das banhistas abordadas, não iam faltar marmanjos para deter a queda da parte de cima dos biquínis.

Agenda
FH abriu espaço na sua agenda de despachos internos, ontem, para receber o presidente da Telefónica de España, Juan Villalonga. A empresa, que movimentou as bolsas da América Latina, na semana passada, é a mesma que vinha sendo acusada pelos acionistas minoritários das subsidiárias de só se preocupar em enviar lucro para a matriz.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCoberto curto
Próximo artigoAglutinar a tropa

Artigos Relacionados

Estaleiros darão a volta por cima

Indústria naval brasileira sofre com política do Governo Bolsonaro.

‘Empreendedores’ fecham suas empresas

Aumentou 35% número de negócios fechados em 2021.

Por que mexer no ICMS e manter dividendos elevados?

Acionistas ganham em dividendos tanto quanto toda a população perderia com corte no imposto.

Últimas Notícias

Clorin ganha destaque nos lares e empresas brasileiras

A empresa amplia distribuição da marca Milton no Brasil.

Tokenização: conceitos e casos de uso dessa tecnologia

BC e CVM acompanharão ao longo deste ano as operações dos projetos aprovados nos respectivos sandboxes regulatórios

Sim Pro Samba homenageia Lula Gigante

O Sim Pro Samba começa às 18h30, na Praça dos Professores. Gratuito!

Solução para o investidor no cálculo e declaração do IR

Usufruir de serviços automatizados para o cálculo e o pagamento de DARFs,

CVM divulga estudo sobre ESG e o mercado de capitais

Relação entre o mercado de capitais e o tema sustentabilidade,