Procura por crédito rural cresceu 18% em sete meses

Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2020/2021, divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, as contratações de crédito rural somaram R$ 147,57 bilhões entre julho de 2020 e fevereiro de 2021. Isso representa crescimento de 18% em relação ao emprestado no mesmo período da safra anterior.
O crédito para investimento totalizou R$ 47,33 bilhões e registrou o maior crescimento, de 40% na comparação com o segundo semestre do ano anterior. Os financiamentos de custeio alcançaram R$ 78,64 bilhões, crescimento de 14%, e os de industrialização, R$ 8,24 bilhões, alta de 1%.
A única modalidade a registrar queda nas contratações foi a dos financiamentos de comercialização, que caíram 3% e somaram R$ 13,34 bilhões. Segundo o Ministério da Agricultura, o recuo deve-se à alta nos preços dos alimentos, que reduziu a necessidade de crédito para a venda da produção.

No crédito para investimento, que engloba compra de máquinas e melhorias no armazenamento e na produção, os empréstimos aos pequenos produtores atendidos pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) totalizaram R$ 10,23 bilhões, com alta de 8% em relação à safra passada.
Os médios produtores, atendidos pelo Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), contraíram R$ 1,88 bilhão emprestados para investimentos, com alta de 3%. Os demais produtores, categoria que abrange grandes produtores e cooperativas, responderam por R$ 35,22 bilhões, com alta de 56%.
Em relação aos programas de investimento, financiados com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o maior volume de contratações ocorreu no Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota), com R$ 7,03 bilhões (+33%). Em seguida, vêm o Programa de Agricultura de Emissão de Baixo Carbono (Programa ABC), com R$ 2,09 bilhões (+12%) e o Programa de Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), com R$ 1,66 bilhão (+60%).
Os empréstimos do Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro) totalizaram R$ 1,56 bilhão (+29%). As operações do Programa de Modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais (Moderagro) somaram R$ 1,3 bilhão (+28%). As operações de crédito do Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido (Moderinfra) totalizaram R$ 714 milhões (+106%).

Segundo a agência Brasil, quanto às contratações de custeio, os pequenos produtores responderam por R$ 12,11 bilhões (+19%) e os médios produtores, por R$ 17,38 bilhões (+6%). A maior parte, R$ 49,14 bilhões, foi contratada por grandes produtores e cooperativas, com crescimento de 16%.
De acordo com o Ministério da Agricultura, os financiamentos agropecuários com base nas emissões de Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) totalizam R$ 20,8 bilhões, com alta de 15%. Título de renda fixa privado, a LCA permite o financiamento do agronegócio sem custo para os cofres públicos.

 

Artigos Relacionados

BC: Open banking significa oportunidades ilimitadas

Uma característica notável do momento atual é a velocidade das mudanças tecnológicas e o seu impacto no sistema financeiro. A frase é do presidente...

Oferta secundária das debêntures da Vale já tem preço

A Vale informou ao mercado nesta terça-feira que recebeu comunicado do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sobre precificação da oferta secundária...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Jornalista agora pode ser MEI

Senado tentou incluir corretor de imóveis, publicitários e produtores culturais no projeto.

STF determina reintegração de excluídos do Bolsa Família

Ministro Marco Aurélio avaliou que Governo Federal estava descumprindo determinação.

Preços dos medicamentos voltam a subir em março

Segundo levantamento, resultado reflete agravamento da pandemia, colapso das unidades de saúde e depreciação cambial.

Planos devem autorizar exame de Covid de forma imediata

Antes da determinação da ANS, os planos podiam demorar até três dias úteis para garantir o atendimento ao pedido.

Cresce demanda árabe por café verde e solúvel do Brasil

No primeiro trimestre deste ano, país exportou 37% mais café à região; além dos grãos verdes, crus, países têm demandado mais produto solúvel.