Procura por seguro cyber risk cresce com LDPD

Com a entrada da Lei Geral de Proteção de Dados no segundo semestre de 2020, colaborou com o aumento da procura pelo seguro cibernético. A nova lei assegura o direito à privacidade dos dados pessoais, através de práticas transparentes e seguras, onde garante os direitos fundamentais. Na Vieira Corretora de Seguros, a procura por essa modalidade de seguros aumentou, tendo como objetivo das empresas a busca por uma apólice para minimizar os custos, caso sofram alguma invasão de hackers.

De acordo com o gestor da Vieira Corretora de Seguros, Fernando Vieira, o aumento da procura pelo seguro cibernético ocorre devido à preocupação com contratempos que podem ser evitados. “Além da entrada em vigor da Lei Geral de Proteção de Dados, a adoção do home office se tornou uma realidade devido à pandemia. Existem diversos cuidados a serem tomados, já que fora do ambiente do escritório, os colaboradores ficam mais vulneráveis aos ataques cibernéticos. Os grupos especializados nesse tipo de crime, estão cada vez mais preparados para sequestrar informações em troca de dinheiro, tendo como meta aumentar o valor dos resgates exigidos às vítimas. A demanda de cotação aumentou e estamos nos empenhando para prestar uma consultoria específica, alertando aos nossos segurados sobre esse tipo de risco”, explicou.

Em 2021, o Brasil sofreu com vazamentos de dados, um deles onde foram divulgadas informações como telefone, endereço, CPF, entre outras de mais de 230 milhões de pessoas vivas e falecidas. Em fevereiro, números de celulares de uma companhia de telefonia móvel, foram vazados. O Cyber seguro garante prejuízos decorrentes de incidentes como roubo e vazamento de dados e pode atingir uma ampla gama de coberturas, como custos de gerenciamento de crises, extorsão cibernética, multas e sanções administrativas, lucros cessantes da empresa e de terceiros, entre outras.

Artigos Relacionados

Senado discute reajuste e melhoria dos serviços de planos de saúde

Dos 18 mil planos para contratação, 53% são empresariais, 22% são individuais e 25% são por adesão.

Saúde suplementar diz que PL do setor prejudica operadoras e SUS

Para FenaSaúde, 'milhões que dependem exclusivamente delas podem ficar sem atendimento, sobrecarregando o sistema público'.

Começa hoje a suspensão de oito planos de saúde

Medida é resultado do Monitoramento da Garantia de Atendimento, que avalia as operadoras a partir de reclamações assistenciais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

CVM lança novo Sistema de Gestão de Fundos de Investimento

A partir de 5 de julho, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) irá disponibilizar o novo Sistema de Gestão de Fundos de Investimento (SGF)....

B3 acolhe novo fundo gerido pela XP Asset

Aconteceu nesta terça-feira, na B3, o toque de campainha para comemorar o lançamento de mais um ETF (Exchange-Traded Fund), que é um fundo de...

Airbus e chinesa AVIC fazem parceria

Um projeto de equipamento de fuselagem do Airbus A320 foi lançado em conjunto pela Airbus e pela Aviation Industry Corporation of China (AVIC) nesta...

BID lança guia para ajudar na emissão de títulos sustentáveis

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) lançou um guia para auxiliar e fomentar a emissão de títulos temáticos. O lançamento acontece por meio do...

Vivant lança lata comemorativa ao Dia Internacional do Orgulho LGBT

A lata estampa as cores do arco-íris e traduz o posicionamento da empresa sobre o respeito à diversidade.