31.6 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 23, 2021

Procura por serviços no Rio cresceu 84% em agosto

Segundo pesquisa feita pelo aplicativo GetNinjas, houve aumento de 84% na demanda por serviços no estado do Rio de Janeiro em agosto em comparação com mesmo período do ano anterior. Crescimento na demanda reflete o comportamento do consumidor fluminense em meio a flexibilização da quarentena e reabertura gradual do comércio. O levantamento é baseado nos mais de 500 tipos de serviços que são oferecidos no aplicativo pelos mais de 1,7 milhão de profissionais cadastrados.

Apesar de a pandemia ter afetado diversos setores, o aumento na demanda por serviços pôde ser percebido desde maio, tanto no país quanto no estado. Em maio, o crescimento da procura no Rio de Janeiro chegou a crescer 52%; em abril, 99%. Para Eduardo L'Hotellier, fundador e CEO do GetNinjas, "essa crise antecipou mais um comportamento que já víamos ocorrer nos últimos anos, o da digitalização do mercado de serviços. De forma segura, as pessoas têm online opções de serviços, assim como elas já têm para entrega de comida e de produtos, por exemplo". Além disso, ao passarem mais tempo em casa, as pessoas começaram a usar mais os eletrodomésticos e veem melhorias que podem ser feitas em casa.

Tais melhorias domésticas fez parte da realidade de muitos fluminenses, já que a demanda por serviços de reformas aumentou 80% em agosto em comparação com o mesmo período do ano anterior. Com tamanho crescimento, essa é a categoria mais demandada no estado. Em segundo lugar há a procura por profissionais de assistência técnica, que teve um acréscimo de 101% no mês passado em comparação com agosto de 2019. Em seguida há a busca por serviços domésticos, que subiu 65% e levando em consideração o mesmo período; as solicitações por serviços de saúde cresceram 214%, de consultoria aumentaram 138% e por fim, a categoria de moda e beleza, 109%.

A pesquisa identificou, ainda, que em toda a Região Sudeste o aumento na demanda foi de 67% em agosto, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Com um comportamento semelhante à demanda fluminense, a categoria mais procurada na região foi a de reformas e reparos.

Artigos Relacionados

Rio: varejo não sentiu melhoria anunciada por institutos de pesquisa

Aldo, do CDL: 'vivemos nosso pior momento, com severas dificuldades em várias áreas, com economia praticamente estagnada'.

MPRJ obtém decisão que interdita a Cidade do Samba

Além disso, eventual demora no julgamento do feito prolongará a situação de risco a que estão expostos não só os trabalhadores, como todas as pessoas que frequentam o local”, afirma o Juízo na decisão.

Comerciantes do Centro tiveram piora na demanda em 2020

Segundo Instituto Fecomércio, 80,3% registraram queda acima de 25% no faturamento de 2020 no comparativo com 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

Más notícias persistem

Petróleo negociado em NY mostrava queda de 2,60% (afetando a Petrobras), com o barril cotado a US$ 51,75.

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.