Produtividade da indústria recuou 4,6% em 2021

Segundo CNI, índice teve maior queda de série iniciada em 2000; Associação Brasileira de Automação aponta índice fraco em lançamentos.

A produtividade do trabalho na indústria em 2021 recuou 4,6%, em comparação com 2020, considerando as séries livres de efeitos sazonais. A informação é do estudo Produtividade na Indústria, da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com o estudo, foi a maior queda anual do indicador da série histórica iniciada em 2000, superando a perda registrada em 2008 (-2,2%), ano da crise financeira global.

Foi segundo ano seguido de queda do indicador que mede a relação entre o volume produzido e as horas trabalhadas na produção.

Em 2021, acrescenta a confederação, houve um aumento de 4,3% no volume produzido e 9,3% nas horas trabalhadas na produção, ou seja, a produção apresentou um crescimento menor.

Segundo a CNI, a queda da produtividade os efeitos da segunda onda de covid-19 e as dificuldades enfrentadas para a retomada dos investimentos e da produção.

A CNI acrescenta que outro fator que contribuiu para a queda no último ano foi a mudança na composição do mercado de trabalho.

“Houve maior crescimento do setor informal frente ao setor formal, o que indica o avanço de ocupações de baixa escolaridade e menor produtividade”, disse a gerente de política industrial da CNI, Samantha Cunha, em nota.

A entidade explica que, no curto prazo, a perspectiva é de baixo crescimento, em patamar semelhante aos anteriores à crise sanitária. Em 2018 e 2019, a produtividade na indústria ficou abaixo de 1%.

“No longo prazo, pode haver um aumento sustentado da produtividade com as oportunidades relacionadas às tecnologias da indústria 4.0 e ao desenvolvimento do 5G, se houver investimentos em inovação.”

Também o Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial apresentou queda de -3,8% para o mês de abril na comparação com o mês anterior no dado livre de efeitos sazonais. Na comparação com abril de 2021, apresentou queda de -12,8% e no acumulado em 12 meses, queda de -6,2% com relação ao período anterior.

“Após o resultado positivo de março, o Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial voltou a cair, o que é uma movimentação natural para o mês. Mas cabe o alerta de que estamos obtendo resultados abaixo dos realizados em 2021. Esperamos uma recuperação branda para os próximos meses, sempre atentos às movimentações da indústria nacional para apoiarmos nossos associados”, comenta Virginia Vaamonde, CEO da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil.

 

Com informações da Agência Brasil

Leia também:

Queda de 6% no faturamento da indústria de máquinas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Dia dos Pais: shoppings preveem crescimento de 16% nas vendas

Setor deve movimentar R$ 4,4 bilhões entre os dias 8 e 14 de agosto.

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.

Últimas Notícias

Real pode se beneficiar da queda do dólar ante moedas emergentes

Em NY, os índices futuros acionários operam no positivo, assim como as principais Bolsas europeias; alta também na Ásia.

Dia dos Pais: shoppings preveem crescimento de 16% nas vendas

Setor deve movimentar R$ 4,4 bilhões entre os dias 8 e 14 de agosto.

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano