28.7 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, janeiro 18, 2021

Programa imperdível

Joesley Batista ficou calado no depoimento convocado pela CPI da JBS nesta terça-feira. Mas o próximo escalado, para quinta-feira, promete falar, e muito. Resta saber se a mídia e a República de Curitiba se interessam pelo que Rodrigo Tacla Duran tem a dizer. O controvertido ex-advogado, ou ex-operador, ou ex-doleiro da Odebrecht diz, entre outras acusações, que o sistema informatizado de propinas da empreiteira – Drousys – foi adulterado e que o advogado Carlos Zucolotto Jr., padrinho de casamento do juiz Sérgio Moro, teria intermediado a delação de Duran, em troca de vantagens para este e de uma boa quantia para o amigo de Moro. Zucolotto Jr. nega tudo, mas o depoente de quinta afirma ter provas das conversações.

Duran, que está na Espanha – tem dupla nacionalidade – também mostrará perícia feita lá, a pedido dele, que comprovaria a fraude no Drousys. Não se deve esquecer que boa parte das provas que a Polícia Federal e o MP dizem ter contra os acusados da Lava Jato são baseadas nas planilhas da Odebrecht.

 

Troia

A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) se junta às vozes que temem que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 181/2015 – apelidada de Cavalo de Troia – tenta tornar inconstitucional o direito a aborto hoje legalizados.

Inicialmente, a proposta seria para legislar o aumento da licença maternidade em casos de nascimento prematuro, porém o texto foi alterado, e o relator da proposta, Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP), incluiu um trecho com o conceito de proteção da vida a partir da concepção. Isto dá margem para interpretação de que abortos hoje legalizados, como em caso de estupro e risco de vida à mãe, seriam inconstitucionais”, destaca a entidade.

Trata-se de uma manobra”, e a aprovação seria “um enorme retrocesso em termos do direito à saúde das mulheres brasileiras”, finaliza a Abrasco.

 

Sol

A Portaria 643/2017, que determina provisão de sistemas alternativos de geração de energia para empreendimentos contratados no Programa Minha Casa Minha Vida, tornou possível o uso de energia solar fotovoltaica em projetos habitacionais de interesse social do Governo Federal.

O presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Sauaia, celebra. A nova diretriz beneficiará a população de baixa renda, por meio da geração de energia renovável, limpa e de baixo impacto ambiental a partir do sol. Será possível reduzir em até 70% os gastos com energia elétrica dos beneficiados.

Sem querer ser pessimista, a coluna lembra de projeto de uso de energia solar para aquecimento de água implantado em uma favela de Niterói (RJ). A iniciativa foi da Ampla, distribuidora local de energia, que deve investir em programas de racionalização de consumo.

Alguns meses depois de instalados, a maior parte dos sistemas deixou de funcionar. Ao ir na favela para saber o que houvera, os técnicos descobriram que os tubos de cobre haviam sido retirados e vendidos. Os moradores reinstalaram os chuveiros elétricos – esbanjadores de energia – e voltaram ao “gato”.

 

Rápidas

Presidentes das centrais sindicais se reúnem nesta quarta-feira, às 17h, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Pauta: Reforma da Previdência *** A Comissão de Propriedade Industrial e Pirataria da OAB/RJ, presidida pelo advogado Paulo Parente Marques Mendes, vai celebrar o Dia Nacional do Combate à Pirataria com o seminário É Possível Acabar com a Pirataria?”, no dia 4, na sede da OAB/RJ *** O Caxias Shopping (RJ) apresenta neste domingo o espetáculo infantil gratuito Meu Presente Preferido. Às 16h *** A FGV Eaesp realiza nesta quinta-feira, a partir das 8h30, palestra gratuita sobre os desafios e perspectivas para o país *** E o Centro de Excelência em Logística e Supply Chain (GVcelog) da FGV realizará no mesmo dia, a partir das 8h30, seminário com empresários e acadêmicos para debater o panorama atual da logística reversa no Brasil. Informações e inscrições: celog@fgv.br *** Também nesta quinta, a Editora da Universidade Federal de São Carlos (EdUFSCar) lança o livro O Governo dos Meninos – liberdade tutelada e medidas socioeducativas, de Sara Regina Munhoz, que trata da etnografia de um núcleo de atendimento a adolescentes autores de práticas infracionais na Zona Leste de São Paulo. O lançamento será às 19h, no Espaço Múltiplo (Rua Luiz Vaz de Toledo Piza, 346, Jardim Luftalla, São Carlos, SP).

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.