Projeto Integrado do Parque das Baleias é adiado por um ano

Petrobras cancela licitação de afretamento de plataforma para atender o projeto e autoriza início de novo processo licitatório.

Mercado Financeiro / 22:11 - 16 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Petrobras atribuiu ao contexto econômico do cenário da Covid -19 o adiamento por cerca de um ano do Projeto Integrado do Parque das Baleias, na Bacia de Campos.“Ficando o início de operação e primeiro óleo para 2024, porém preservando o escopo do projeto que prevê o remanejamento de poços entre plataformas em operação no ano de 2022”, informou a estatal nesta sexta-feira em comunicado.

Com a postergação, a Petrobras cancelou a licitação de afretamento de plataforma para atender o projeto e autorizou o início de um novo processo licitatório.

Em março deste ano, a Prática Engenharia apresentou o menor preço na licitação da Petrobras para adquirir bens e serviços visando à adequação da malha de gás submarina do Parque das Baleias, na Bacia de Campos.

A oferta da empresa brasileira foi de R$ 268,492 milhões, superando os preços propostos pela Mota Engil Engenharia e Construção (R$ 474,898 milhões), Saipem (R$ 527,325 milhões) e Ocyan (R$ 737,091 milhões).

A empresa não tinha histórico de contratos com a Petrobras, segundo dados públicos da estatal.

Lançada em maio de 2019, a concorrência, segundo a Petrobras, teve como objetivo viabilizar o escoamento do gás do novo FPSO que começará a produzir na área em 2022. O escopo inclui serviços de engenharia, instalação e montagem submarina a bordo de embarcação, além de spools, manifolds, skids, juntas e conectores.

O projeto integrado do Parque das Baleias visa aumentar o fator de recuperação de óleo e gás pela otimização da atual malha de drenagem com a interligação de uma nova plataforma”, explicou a Petrobras na ocasião.

 

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor