Projetos da ICR da China beneficiam a economia do Camboja

Os projetos sob a Iniciativa do Cinturão e Rota (ICR) proposta pela China têm impulsionado muito a economia do Camboja e têm aprimorado os meios de subsistência da população local, disseram autoridades e especialistas cambojanos.

Foto tirada no dia 3 de março de 2022 mostra arranha-céus em Phnom Penh, Camboja. (Foto por Phearum/Xinhua)

Xinhua - Silk Road

Phnom Penh, 6 mai (Xinhua) — Os projetos sob a Iniciativa do Cinturão e Rota (ICR) proposta pela China têm impulsionado muito a economia do Camboja e têm aprimorado os meios de subsistência da população local, disseram autoridades e especialistas cambojanos.

Grandes projetos da ICR no país do Sudeste Asiático incluem a Zona Econômica Especial de Sihanoukville, usinas hidrelétricas, via expressa Phnom Penh-Sihanoukville, novo Aeroporto Internacional de Siem Reap, Estádio Nacional Morodok Techo, estradas e pontes, hospitais e abastecimento de água rural, etc.

“Esses projetos forneceram e continuarão a fornecer muitos benefícios tangíveis para a economia e o povo do Camboja”, disse à Xinhua o Vasim Sorya, subsecretário de Estado e porta-voz do Ministério de Obras Públicas e Transportes.

“Os projetos da ICR aqui são sinceros, sem compromisso, e o objetivo é ajudar a impulsionar o nosso desenvolvimento socioeconômico e melhorar a vida do nosso povo”, disse ele.

Apesar do impacto da pandemia do COVID-19, todos os projetos da ICR no reino avançaram de forma estável, disse Sorya, dando um exemplo da obra de construção no valor de 2 bilhões de dólares, a via expressa Phnom Penh-Sihanoukville.

Iniciado em 2019, espera-se que o projeto seja totalmente concluído dentro do cronograma este ano, disse ele, acrescentando que foi gerado mais de 3.000 empregos para os cambojanos durante a construção.

“A via expressa de 190 quilômetros é o maior projeto da ICR no Camboja, e dará um novo impulso ao desenvolvimento econômico do Camboja, uma vez que a via liga a capital Phnom Penh ao porto internacional de águas profundas em Sihanoukville”, disse ele.

A ICR, uma referência ao Cinturão Econômico da Rota da Seda e à Rota da Seda Marítima do Século XXI, foi iniciada pela China em 2013 para construir redes de comércio e infraestrutura conectando a Ásia com a Europa e a África nas antigas rotas comerciais da Rota da Seda.

Sorya disse que todos os projetos da ICR foram construídos de forma ecologicamente correta.

Desde a sua entrada em vigor em 2013, a ICR impulsionou significativamente a cooperação regional e global em termos de infraestruturas duras e leves, economia, comércio, oportunidades de investimento, intercâmbio cultural e conectividade entre pessoas, disse ele.

“De modo geral, a ICR proporcionou enormes oportunidades e benefícios para todos os países participantes pelo mundo, ajudando a impulsionar as economias regionais e globais durante e após a pandemia”, disse Sorya. “Esta iniciativa, na minha opinião, está contribuindo de forma importante para a construção de uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade.”

O subsecretário de Estado e porta-voz do Ministério do Comércio, Penn Sovicheat, disse que a Zona Econômica Especial de Sihanoukville (SSEZ) é o exemplo perfeito de uma cooperação ganha-ganha sob a ICR.

“A SSEZ forneceu muitos empregos aos trabalhadores e serviu como modelo para as indústrias de cluster, como também foi uma base para as exportações”, disse ele à Xinhua.

De acordo com o relatório de uma operadora, a SSEZ registrou um aumento anual de 42% no valor das importações e exportações, atingindo 2,2 bilhões de dólares em 2021.

Em relação à via expressa Phnom Penh-Sihanoukville, Sovicheat disse que o projeto é crucial para reduzir o tempo de viagem e o custo de transporte, melhorar a conectividade logística e aumentar as atividades de importação e exportação entre o Camboja e o mundo, especialmente a China.

Neak Chandarith, diretor do Camboja 21st Century Maritime Silk Road Research Center, disse que a ICR tem contribuída muito para as estratégias de desenvolvimento do Camboja, como a Estratégia Retangular Fase IV, a Política de Desenvolvimento Industrial 2015-2025, o plano mestre de melhoria do sistema logístico, e as zonas econômicas especiais polivalentes na cidade costeira de Sihanoukville.

“Isso ajudará o Camboja a atingir sua meta ambiciosa de se tornar um país de renda média-alta até 2030 e um país de renda alta em 2050”, disse ele à Xinhua. “Os projetos do BRI serão os principais contribuintes para o crescimento econômico do Camboja na era pós-pandemia”.

Mak Chamroeun, vice-presidente do mercado online Smile Shop, com sede em Phnom Penh, disse que a ICR está construindo um mundo conectado com paz, harmonia, desenvolvimento comum e prosperidade, e que para o Camboja os projetos da ICR trouxeram muitos benefícios potenciais para as empresas e os moradores locais.

“A China, colocada no topo entre os investidores estrangeiros no Camboja, possui vários investimentos em setores importantes no Camboja, como zonas econômicas especiais, infraestrutura de transporte, energia, agricultura, telecomunicações e turismo, entre outros”, disse ele à Xinhua.

“Todos estes projetos de infraestruturas têm desempenhado papéis fundamentais, não só na melhoria da vida cotidiana das pessoas, mas também na promoção do crescimento econômico e na modernização das zonas rurais”, disse ele. Fim

Leia também:

China forja à frente para futuro mais brilhante na economia digital

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou na sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,48 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.

Representante chinês pede coordenação e estabilidade sobre alimentação

Um representante chinês pediu na quinta-feira para que a comunidade internacional trabalhe em conjunto, no objetivo de estabilizar o mercado global de alimentos, garantir suprimentos diversos de alimentos e facilitar globalmente o comércio agrícola.

Envios de celulares na China alcançam 69,35 milhões de unidades no Q1

As remessas de telefones celulares da China tiveram uma queda anual de 29,2%, chegando cerca de 69,35 milhões de unidades no primeiro trimestre deste ano, de acordo com um relatório da Academia Chinesa de Tecnologia da Informação e Comunicações (CAICT, sigla em inglês).

Últimas Notícias

Três perguntas: NFTs de coleção

Por Jorge Priori.

Por que mexer no ICMS e manter dividendos elevados?

Acionistas ganham em dividendos tanto quanto toda a população perderia com corte no imposto.

Rio, petróleo e prosperidade

Por Ranulfo Vidigal.

Baixas temperaturas e geadas trazem prejuízos a agricultores

Balança comercial do agro, entretanto, apresentou superávit de US$ 43,7 bilhões no acumulado do ano, de janeiro a abril.