32.5 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, janeiro 25, 2021

Manutenção de pensões é meta da oposição

A garantia de um piso de um salário mínimo para pensionistas é um dos principais objetivos da oposição na votação do projeto em segundo turno na Câmara. O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), em entrevista ao Blog do Sakamoto, disse ter esperança de conseguir apoio para mudar aspectos mais perversos da reforma.

O líder da oposição também destaca a questão da contribuição dos trabalhadores contratados em regime intermitente. Atualmente, se eles não conseguirem mais de um salário mínimo no mês, não recolhem para a Previdência e não têm o tempo de contribuição anotado.

Para os participantes do debate promovido pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado nesta segunda-feira, o Regime Geral de Previdência Social (RGPS) se tornará desinteressante, e a aposentaria será impossível à maioria dos trabalhadores.

O texto atual da reforma, aprovado em primeiro turno na Câmara dos Deputados, será uma tragédia para a maioria da população, afirmaram os representantes de servidores públicos e trabalhadores na audiência pública.

De acordo com o representante do Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional, Achilles Linhares Frias, se o Brasil tivesse um sistema tributário justo, poderia não precisar de tantos ajustes na Previdência. Ele afirmou que a reforma previdenciária na verdade não é uma reforma, mas uma extinção da Previdência Social.

“Agora, pela PEC, a Funpresp (fundo de pensões dos servidores públicos criado no Governo Dilma) poderá ser extinta, abrindo-se mais um nicho para o mercado financeiro. E várias coisas podem ocorrer: alguma entidade privada comprar esse fundo, que, em breve, se tornará o maior fundo da América Latina”, afirmou Frias.

Artigos Relacionados

Twitter: Bolsonaro teve só 4% de menções positivas e 66% de negativas

Segundo pesquisa da Modalmais/AP Exata, para 37,2%, governo é ruim/péssimo.

Vetos na Lei de Recuperação Judicial e Falências

O alerta leva em consideração o fato de que entra em vigor neste domingo (24) a nova Lei de Recuperação Judicial e Falências (14.112/2020), que trata da recuperação judicial de empresas em dificuldades, além do parcelamento e do desconto para pagamento de dívidas tributárias e possibilita aos credores apresentar plano de recuperação dos devedores.

Demissão de Ernesto Araújo é pedida

Em live nesta quinta-feira elogiou a política externa brasileira, sob o comando do ministro Ernesto Araújo que, na realidade, está colocando o país mais isolado mundialmente, com seguidos ataques à China e o afastamento do país dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Omissão em documento laboral deve ser resolvida na Justiça do Trabalho

Decisão afasta ações contra o INSS por possíveis erros cometidos pelas empresas.

Biden retoma restrições a viajantes que chegam do Brasil

Medida também afetará quem não é cidadão norte-americano que viaje a partir do Reino Unido e África do Sul.

Ação contra McDonald’s já beneficiou mais de 3 mil trabalhadores

Justiça reconheceu direito a maior pagamento de participação nos resultados.

Ritmo de vacinação limita alta do PIB no Brasil a 3,5%

FGV acredita em retomada desigual no mundo, com melhora mais rápida nos países desenvolvidos.

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.