Propriedade intelectual deve ser debatida

Na carta aberta “Em defesa do bom debate sobre a propriedade intelectual”, entidades como a Associação Brasileira de Direito Autoral (ADBA) e Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) defendem que “o grande desafio é buscar uma forma equilibrada de proteção a esses direitos, que não sufoque a inovação técnica, nem suprima o crescimento de infraestruturas da rede mundial, de novos modelos de negócios digitais, tampouco da disseminação cultural”.

A discussão surge a partir da CPI dos Crimes Cibernéticos, que entregou o seu relatório final em 31 de março. “A solução possível, moderna, democrática e republicana, adotada nas democracias e economias mais modernas do mundo, é a possibilidade de bloqueio de sites cujas atividades se limitam a explorar comercialmente obras sobre as quais não possuam o direito intelectual, sempre por meio de análise e decisão judicial. O juiz competente poderá, assim, determinar a suspensão do tráfego de sites comprovadamente criminosos, por meio de decisão judicial direcionada aos provedores de internet no Brasil”, defende o documento – que, pena, também é assinado pela MPA – Motion Picture Association – América Latina, a entidade que defende os interesses dos grandes estúdios norte-americanos, nem sempre coincidentes com os desejos brasileiros.

Resultados tangíveis

País com maior número de estudantes universitários – 37 milhões de matriculados em 2.852 instituições de ensino superior em 2015 – a China fica atrás das potências mundiais no setor em qualidade, disse à agência de notícias Xinhua Wu Yan, diretor do Centro de Avaliação de Ensino Superior. Uma das dificuldades é transformar pesquisa científica em resultados tangíveis. Falta de inovação e empreendedorismo na grade curricular, além de financiamento insuficiente, também preocupam as autoridades chinesas. O Ministério da Educação observou que a receita do ensino superior e o orçamento do governo nesta área em 2013 foram 3,6 vezes e 4,9 vezes maiores ante 2003, respectivamente.

Olha a cobra!

A advogada Janaína Paschoal, coautora do pedido de impeachment da presidente Dilma, tem uma estranha relação com as religiões. Após o “vídeo da cobra” viralizar na internet, sua atuação foi comparada à de pastores evangélicos, especialmente a menina pastora do vídeo do YouTube.

No processo em que defendeu o procurador Douglas Kirchner, acusado de agressão à mulher, Janaína alegou que ele sofre de transtorno psiquiátrico desencadeado por fanatismo religioso. A maioria dos integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público não acolheu a tese e votou pela demissão do procurador.

Responsabilidade

Os meios de comunicação têm, no momento atual, importância sem limites na formação da opinião pública. O uso das redes sociais possibilita dar ao fato múltiplas e imagináveis nuances, dentro do contexto de que tal prática se enquadra no legítimo direito de expressão. Nesse cenário nebuloso, possível pelas nuvens da internet, a imprensa tem que ser vista ainda como guardiã no processo de esclarecimento da sociedade, mediante trabalho cuidadoso e criterioso de apuração, investigação e elaboração da notícia. Cabe ao jornalista – que comemoru nesta quinta-feira seu dia – o cuidado de processar a matéria-prima da democracia: a informação.

Rápidas

Estratégia Global da UE para Política Externa e de Segurança e os Desafios da União Europeia na Área da Segurança e Defesa” é tema de curso em 26 de abril, no Auditório A da Escola Superior de Guerra *** Luciana Rodrigues Silva é a primeira mulher a ser eleita presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Ela ficará à frente da entidade no triênio 2016-2019 *** A Associação Paulista de Medicina sedia o I Encontro do Departamento Científico de Neurogenética da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), em 3 e 4 de junho *** O Carioca Shopping preparou O Clubinho de Ouro, para crianças conhecerem e testarem habilidades em esportes como atlestismo e badminton. Será nos sábados e domingos, de 9 de abril até 1º de maio *** No Dia Mundial da Saúde, comemorado nesta quinta, o presidente mundial do laboratório farmacêutico dinamarquês Lundbeck, Käre Schultz, reuniu-se em São Paulo com médicos-pesquisadores brasileiros ligados à área de neurologia e de psiquiatria. É a primeira vez que ele vem ao Brasil – país que considera como um dos principais mercados da companhia *** O Nelson Wilians & Advogados Associados ampliou seu escritório em Campinas *** O presidente da Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre), Carlos Fernandes, será um dos palestrantes da Pollutec Brasil, feira internacional que reúne as principais empresas e entidades ligadas à engenharia ambiental no mundo, que acontece de 12 a 15 de abril no Pavilhão Anhembi, em São Paulo *** A diretora de RH do Centro de Pesquisas da GE, Jaqueline Tibau, será uma das palestrantes do RH-RIO, que acontecerá em 17 e 18 de maio, no Centro de Convenções SulAmérica.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Ameaça de demissões expõe crise na Saúde

Piso de menos de 4 SM para enfermagem revela desvalorização.

Qual a parcela de culpa da Ericsson no terrorismo?

Multi sueca é processada por pagar propina no Iraque que teria chegado ao Estado Islâmico.

BC eleva juros, mas inflação segue disseminada

Remédio errado a partir de diagnóstico equivocado.

Últimas Notícias

Fiagros têm captação líquida satisfatória até junho

Esses fundos entraram em operação em agosto de 2021

Vendas financiadas de veículos leves e pesados crescem pouco

Em relação a julho de 2021, no entanto, queda é de 18,8%

Índices influenciaram o mercado nesta semana

Ibovespa encerrou nesta sexta-feira com alta de 2,33%

Petrobras informa sobre venda de direitos minerários de potássio

A Petrobras informa que iniciou a etapa de divulgação da oportunidade (teaser), referente à venda de seus direitos minerários para pesquisa e lavra de...

China aposta no controle da inflação este ano

BPC: condições favoráveis para manter os preços geralmente estáveis