Proteste faz alerta sobre cartão por aproximação

BC: Não existem normas específicas para essa modalidade de pagamento

O pagamento por aproximação do cartão é a modalidade que mais cresce hoje no Brasil, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito (Abecs). Em junho de 2021, foram registradas 112 milhões de transações, número sete vezes maior do que no mesmo mês de 2020, relata a entidade.

O Banco Central (BC) diz que não existem normas específicas para essa modalidade de pagamento. Apesar dessa autonomia, o BC ressalta que há disposições legais e regulatórias a serem observadas. Entre elas, segurança da transação e da informação, acompanhamento de fraudes e informação ao consumidor.

A tecnologia por aproximação já está presente na maioria dos cartões emitidos por bancos tradicionais e digitais. Mas essa possibilidade de pagamento pode trazer dor de cabeça se não forem tomadas as devidas providências.
Para a Proteste, associação de consumidores da América Latina é preciso responsabilizar as instituições emissoras pelo ressarcimento dos consumidores que forem vítimas de fraude. A Comissão de Defesa do Consumidor da OAB RJ já alertava sobre os riscos da nova tecnologia, em um parecer emitido em 2019.

Em maio, a Proteste enviou um ofício ao Governador do Estado do Rio de Janeiro, pedindo o veto de alguns pontos do PL 5083/2021. De acordo com a análise da associação, o projeto, que objetiva conferir mais segurança às operações, na prática inviabiliza o pagamento por aproximação no estado. Após o pedido da Proteste, o Governo do Rio de Janeiro vetou o projeto de lei, que agora retornará à Alerj para ser discutida a manutenção ou derrubada do projeto.

A Proteste acredita que o cartão por aproximação é uma conquista para o país. Apesar de identificar que há problemas de segurança e que os bancos têm responsabilidade objetiva no ressarcimento aos consumidores, como já reconheceu o Tribunal de Justiça de São Paulo, a Proteste acredita que o recurso é um avanço para o setor de meios de pagamentos e, sendo assim, não podemos retroceder.

Segurança

O cartão por aproximação é uma das opções de pagamento consideradas mais seguras, porque, além de não ser necessário o uso da senha do cartão, a cada transação é gerado um código específico que protege seus dados de possíveis golpes. Nas situações de perda ou roubo, no entanto, a segurança fica comprometida. Nesses casos, é preciso entrar em contato com o banco o quanto antes para pedir o bloqueio do cartão.

Uma dúvida frequente envolve a distância necessária para o pagamento. Muita gente teme em pagar uma conta que não é sua. A Abecs informa que para realizar a transação é preciso uma distância menor do que quatro centímetros entre cartão e maquininha, se não houver interferência no wi-fi. Caso você não se sinta seguro, também é possível pedir ao banco que desative o NFC do seu cartão.

Leia também:

Pedidos com Pix chegam a 11,5% do comércio eletrônico

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Exterior misto deve acrescentar volatilidade nos negócios locais

Nesta quarta, dólar também ganha força ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o que deve pressionar o real.

Adquirir conhecimento é a chave para investir melhor

Para economista, medo é o mesmo sentimento que se tem do desconhecido

Petróleo termina abaixo de US$ 100 por barril nos EUA

Queda de mais de 8% nesta terça-feira.

Últimas Notícias

Viagens tiveram queda de 41% entre 2019 e 2021

Dados são da Pnad Contínua Turismo 2020-2021, do IBGE; já as corporativas superaram R$ 1 bi em faturamento em maio deste ano.

Ovo aumentou 202,13% acima da inflação oficial

Pesquisa do IBPT analisou o preço de 40 produtos, entre março de 2020 e maio de 2022.

Exterior misto deve acrescentar volatilidade nos negócios locais

Nesta quarta, dólar também ganha força ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o que deve pressionar o real.

BNDES: R$ 317,2 milhões nos aeroportos de Mato Grosso

Ao todo serão investidos R$ 500 milhões nos quatro aeroportos, com participação de 65% do BNDES

Fintechs emprestaram mais de R$ 12 bi em 2021

Crédito é quase o dobro do ano anterior, diz pesquisa da ABCD e PwC Brasil