Pés de barro

A decisão do ministro da Fazenda, Antônio Palocci, de liberar apenas R$ 37 milhões dos R$ 169 milhões previstos pelo Orçamento para vigilância sanitária ajuda, pelo didatismo, a desmontar dois dos principais dogmas da política econômica. Apesar de, por uma “economia de palitos” – como teria se referido ao corte o presidente Lula – provocar, com o surto de aftosa, um prejuízo ao país que cálculos bastante conservadores estimam US$ 2 bilhões, Palocci não está sujeito a ser enquadrado na Lei de Responsabilidade Fiscal (LFR). A LFR, ao contrário, estimula esse tipo de prática para garantir que o rebanho dos juros continue a ser cevado. Além disso, revela como a própria lógica do superávit primário (economia para pagar juros) leva ao aumento de gastos públicos e ao desperdício.

Regras no exterior
A Organização Mundial do Comércio (OMC) recebe anualmente cerca de 1,2 mil notificações de novos regulamentos impostos por países membros da organização. Em geral, as pequenas empresas são as que têm mais dificuldades para atender a esses pleitos. Certificação, verificação, inspeção, ensaios chegam a custar US$ 250 mil por produto. Uma base de dados com informações sobre as exigências técnicas para exportação de cerca de cem produtos que já passaram pela adequação do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo, pode ser encontrada no site www.exigenciastecnicas.ipt.br. Mari Katayama, coordenadora da Área de Projetos do IPT, disse que o site é apenas o embrião de um projeto maior, que orientar todas as pequenas empresas no país sobre as normas técnicas exigidas pelo mercado internacional.

Oportuno
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) submete a consulta pública a proposta de Norma para Cálculo do Índice de Serviços de Telecomunicações (IST), que visa a substituir o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) por um índice de  referência que reflita as reais variações de despesas das prestadoras de serviços de telecomunicações. O interesse da agência surge justamente no momento em que o IGP-DI, que acumulava altas muito superiores aos demais índices de inflação, registra índices negativos e acumula nos últimos 12 meses algo em torno de 5%.

Blindado
Tal qual no Brasil – e no resto do mundo – neoliberal mexicano tem horror a eleição. Assim, o presidente do México, Vicente Fox, comemora a “blindagem” estabelecida por sua administração em torno de temas econômicos, para impedir que o novo presidente mude a política que agrada ao mercado financeiro internacional. Parte da estratégia é o banco central independente. Guillermo Ortiz seguirá no posto de presidente do BC pelo menos até 2009.

Garçom antenado
Sai o psiu, entra a antena. Pelo menos se depender de Célio Teixeira de Souza, a forma de os clientes chamarem o garçom vai ganhar ares mais tecnológicos. Souza inventou a antena chama garçom, um dispositivo luminoso fixo a uma base de metal com um botão lateral, que, quando aceso, significa que o cliente quer ser atendido. Souza faz parte da  Associação Nacional dos Inventores (ANI), fundada em 1992 pelo empresário Carlos Mazzei e que hoje reúne cerca de 3 mil associados.

Cama quente
Também associada à ANI, Verônica Salema é responsável por outra invenção inusitada, porém, aplicada ao lar: o aquecedor de camas. Sua utilidade é evitar, que em lugares úmidos ou dias muito frios, a cama fique gelada. O invento se limita a direcionar seu bocal de saída para o local desejado, como camas e berços.  A invenção, movida à energia elétrica e em formato cilíndrico, tem um timer para programar o tempo de ação sem que seja preciso desligá-lo.

Furando o bloqueio
“Como a Comunicação e a TV do Senado Federal têm ajudado a passar o país a limpo?” Esse será o tema central da palestra a ser proferida no 5º Congresso Brasileiro de Comunicação no Serviço Público pelo jornalista Armando Rollemberg, diretor de Comunicação Social do Senado. O evento será realizado, em 20 e 21 de outubro, na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em São Paulo. Mais informações pelo telefone (11) 5573-3627 ou em www.megabrasil.com

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBig bang
Próximo artigoBolha volta a atacar

Artigos Relacionados

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Terceira via tira a máscara

Diferença para atual governo está nos métodos, não nos fins.

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Últimas Notícias

Vale cancela ações em tesouraria sem reduzir o valor do capital social

O Conselho de Administração da mineradora Vale aprovou o cancelamento de 152.016.372 ações ordinárias de emissão da companhia adquiridas em programas de recompra anteriores...

Eve: Aeronaves elétricas de emissão zero de carbono

A Eve Urban Air Mobility, da Embraer, e a francesa Helipass, plataforma de reserva de voo em helicópteros para turismo e mobilidade aérea, anunciaram...

Petrobras terá arquivos nas nuvens

A Petrobras inaugurou, na última sexta-feira (17), o Centro de Competência em Computação em Nuvem (CCC), que vai direcionar e acelerar a estratégia de...

Evergrande: Crise pode afetar exportação de minério de ferro

A segunda-feira foi bastante movimentada com a notícia vinda da China que a Evergrande Real Estate, gigante do setor de incorporação imobiliária no país...

Brics: Título para ter receita e financiar projetos de infraestrutura

Brics: Título para ter receita e financiar projetos de infraestrutura O Novo Banco de Desenvolvimento do Brics (NDB, em inglês) emitiu um título denominado em...