Quase todos os homens do presidente

Ministros de Bolsonaro iniciam governo devendo explicações.

Está completo o governo para “mudar tudo isso que está aí”:

Tereza Cristina aparece em delação da JBS sobre propinas pagas aos governos do Mato Grosso do Sul. O diretor tributário do grupo, Valdir Aparecido Boni, entregou à Procuradoria-Geral da República aditivos assinados pela agora ministra da Agricultura a título de provas.

O general Augusto Heleno foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) por irregularidades em convênios nos Jogos Mundiais Militares, em 2011. O TCU condenou o agora ministro do Gabinete da Segurança Institucional a pagamento de multa de R$ 4 mil. O general recorreu, mas o Tribunal manteve a punição. Após nova apelação, as multas foram anuladas, mas a avaliação sobre a irregularidade nos convênios foi mantida.

Onyx Lorenzoni é investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por ter recebido R$ 100 mil da JBS em agosto de 2012. O ministro da Casa Civil já confessou ter recebido R$ 100 mil da empresa em 2014. Alegou que foi caixa 2 eleitoral.

O superministro Paulo Guedes responde a inquérito da PF sobre fraudes em fundos de pensão. O montante dos negócios chegaria a R$ 1 bilhão. O Ministério Público não revela quanto foi efetivamente repassado e está sob investigação. O investimento dos fundos de pensão foi dirigido para empresas de Guedes. O MP suspeita de lucros excessivos para o atual ministro e prejuízos para os fundos. As investigações são conduzidas por MPF, PF, CVM e Previc – as duas últimas agora sob o tacão do superministro.

Marcos Pontes foi investigado por ter sido sócio de uma empresa enquanto era militar, o que é proibido. A investigação prescreveu. Depois de reformado, Pontes tornou-se o principal acionista da empresa, com 80%.

ONG fundada por Damares Alves é investigada pelo MPF por possíveis irregularidades cometidas contra indígenas.

Luiz Henrique Mandetta responde a inquérito por fraude em licitação, tráfico de influência e caixa 2 quando era secretário de Saúde em Campo Grande (MS), entre 2005 e 2010

Marcelo Álvaro Antônio (cujo nome real é Marco Tulio Teixeira Dias) é réu em sete processos, entre cíveis e criminais, na justiça de Minas Gerais.

Ricardo Salles foi condenado em 19 de dezembro por improbidade administrativa, com direitos políticos suspensos por três anos, multa de dez vezes os vencimentos de secretário estadual e proibição de contratar com o setor público ou receber benefícios ou incentivos fiscais e creditícios por três anos. Disse que irá recorrer.

Temos, de cara, uma mudança: antes, os ministros eram processados durante ou após deixarem os governos; agora, ser investigado parece ser cartão de visita.

 

Políticas públicas

Na véspera da posse de Jair Bolsonaro, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) anunciou a Campanha da Fraternidade para este ano. O tema da campanha – “Fraternidade e Políticas Públicas” – é um bom exemplo do que pode ser feito em muitas frentes para enfrentar o ultraliberalismo.

 

Lei Seca na água

Os comandantes náuticos que são flagrados navegando após ingerir bebida alcoólica são autuados e multados tal como ocorre no transporte rodoviário. Ocorre que as multas não obedecem a qualquer critério. Cada unidade da Capitania dos Portos fixa o valor que bem entende. O mesmo acontece em relação a outras transgressões.

 

Criatividade

Onyx Lorenzoni foi mais um que, ao chegar ao governo, afirmou que pretende vender imóveis da União. Poderia ser mais original. Um exemplo vem do bairro Castelo, na região da Pampulha. Um galpão cheio de máquinas virou a Casa Fundamental, escola para ensino infantil e fundamental.

O projeto, do arquiteto Gabriel Castro, junto com Marcos Franchini e Pedro Haruf, foi vencedor na premiação do Departamento de Minas Gerais do Instituto de Arquitetos do Brasil.

 

Emprestou tudo pro Queiroz?

As declarações de renda entregues por Jair Bolsonaro ao TSE em 2014 e 2018 não falavam em qualquer quantia em dinheiro vivo. Seu filho Flávio também não relatou ter grana guardada em casa.

 

Rápidas

Operações no mercado de derivativos financeiros” é o tema do curso que ocorrerá em 22 e 23 de janeiro no Ibef-RJ. O instrutor é Paulo Berger. Informações sobre este e outros cursos em www.cursosibefrio.org.br *** Nos domingos de janeiro, os shows circenses vão animar o público no Carioca Shopping, das 17h às 17h40. O Clubinho no Picadeiro é indicado para crianças entre 1 e 10 anos e tem vagas limitadas.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Bolsonaro invade TV Brasil

Programação foi interrompida 208 vezes em 1 ano para transmissão ao vivo com o presidente.

FMI: 4 fatores ameaçam inflação

Fundo acredita que preços deem uma trégua no primeiro semestre de 2022, mas...

Pandora Papers: novos atores nos mesmos papéis

Investigação mostra que pouco – ou nada – mudou desde 2016.

Últimas Notícias

Guedes fica mesmo avaliado com nota baixa

Apesar de abrir a possibilidade de aumentar a crise econômica e do desrespeito ao teto de gastos ou outras regras fiscais para bancar medidas...

Ex-ministro de Temer substituirá Funchal

O ex-ministro do Planejamento Esteves Colnago assumirá o comando da Secretaria Especial de Tesouro e Orçamento da pasta. A nomeação foi confirmada nesta sexta-feira...

Receita Federal abre consulta a lote residual de Imposto de Renda

A Receita Federal abriu nesta última sexta-feira consulta a lote residual de restituição do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) relativo ao mês...

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,238 bi em setembro

As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 1,238 bilhão em setembro deste ano. De acordo com os dados do...

81% dos brasileiros têm contas em mais de uma instituição financeira

Oito em cada dez brasileiros têm conta em mais de uma instituição financeira, ou seja, controla suas finanças de força desagregada. É o que...