Que concorrência é esta que faz subir os preços?

52

O país importa, desnecessariamente, mais de US$ 10 bilhões, em derivados, especialmente diesel e gasolina, que poderiam ser aqui produzidos por nossas refinarias, hoje operando com absurda ociosidade de 32%. “Tudo isto em nome da concorrência. Que concorrência é esta que faz subir os preços?”, ironiza o ex-deputado Ricardo Maranhão. Diretor da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), ele enviou texto à Confederação Nacional do Transporte (CNT) sobre os preços dos combustíveis e a paralisação de milhares de caminhoneiros.

O petróleo, seus derivados e o gás natural são responsáveis por mais da metade do consumo de energia primária no Brasil, por consequência fundamental para a competitividade de nossa economia. A fixação dos preços dos derivados não pode deixar de considerar características econômicas e sociais de nosso povo, como a profunda desigualdade de renda e milhões de brasileiros ainda mergulhados na pobreza. Também é fundamental levar em conta a estrutura dos transportes, concentrada no rodoviarismo, graves deficiências de logística, insegurança, dentre outros problemas”, enumera Maranhão.

Ele concorda com a CNT, da mesma forma que o corpo técnico da Petrobras, em considerar a atual política de preços para os derivados “equivocada, perversa, prejudicial aos consumidores, aos transportadores, à sociedade, ao país, e, também, à própria Petrobras”.

Maranhão, porém, discorda de trecho da nota da CNT que afirma não poderem os transportadores responder “pela ineficiência da estatal e pelos escândalos de corrupção que ocorreram na empresa”. O ex-deputado sublinha que a Petrobras “foi vítima da ação combinada de políticos inescrupulosos, empresários corruptos e servidores desonestos, já afastados e presos”. Quanto à competência e à eficiência, lembra que são ambas comprovadas por índices e prêmios internacionais, com destaque para a produção de óleo e gás em águas profundas e ultraprofundas. Afirma ainda que a estatal se tornou a décima petroleira do mundo em apenas 64 anos, numa indústria com mais de 180 anos.

O diretor da Aepet salienta que a produção de óleo/gás é quase toda ela feita em reais e não há motivo de seguir as cotações internacionais de um mercado sabidamente cartelizado, oligopolizado. Chefes de Estado e ministros de energia manifestam abertamente suas intenções de restringir a produção para elevar os preços. “As cotações também dependem de fatores climáticos e geopolíticos.”

Por fim, pede apoio da CNT à instalação da CPI para investigar a política de preços.

 

Corte na saúde

Em função do corte no orçamento de R$ 5,2 milhões da Fiocruz, os trabalhadores da Fundação decidiram fazer um ato público nesta quinta-feira, às 10h, na portaria da Avenida Brasil – haverá também abraço ao Castelo Mourisco. O protesto faz parte do Dia Nacional de Luta dos servidores públicos federais.

 

Esquerda vermelha

A nona legislatura de Cuba, eleita em março e constituída em 18 e 19 de abril, conta com 605 membros, dos quais 322 são mulheres (53,22%), fato sem precedentes na história de Cuba e na América Latina – as cubanas passaram a Bolívia (53,1%) por margem mínima.

No Brasil, as mulheres representam apenas 10,5% dos integrantes da Câmara dos Deputados, pior participação na América Latina. A média mundial é de 23,6%. Em um ranking elaborado pela organização suíça Inter-Parliamentary Union (IPU), com 189 países, liderados por Ruanda (61,3% dos parlamentares são mulheres), o parlamento brasileiro aparece na 152ª posição.

 

Rápidas

O Caxias Shopping preparou o Karaokê do Dia dos Namorados, 12 de junho. O Center Shopping Rio realiza nos dias 9 e 12, a partir das 19h30, shows com Renato Vianna e o casal Julie e Nando Motta, ex-participantes do The Voice Brasil. E o Shopping Jardim Guadalupe acrescenta festa junina, neste sábado e no domingo, com o Arraiá dos Namorados *** Júlio Dias e Plínio Camillo, autores do livro De Rua, falam sobre a sua experiência no atendimento a crianças e adolescentes na rua. Será nesta sexta, às 20hs, no Hangar Teatro (Rua Conselheiro Brotero, 305 – Barra Funda – SP) *** O advogado Gabriel Di Blasi participa em Toronto, no Canadá, do Congresso Mundial da Federação Internacional dos Advogados de Propriedade Intelectual (FICPI). Durante o evento, que vai até sábado, ele preside o Comitê Executivo da Comissão de Estudo e Trabalho de Design.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui