Quem ganha

Segundo o deputado federal Ricardo Berzoini (PT-SP), a mudança no estatuto da Previ – fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil – “é uma obsessão do governo em retroceder em relação a algo mais avançado”. O estatuto paritário, em vigor desde 1997, vem permitindo a transparência das aplicações dos recursos do fundo. O parlamentar lembrou que a partir da implantação do atual estatuto acabaram os escândalos da época de Eduardo Jorge e Ricardo Sérgio. Para Berzoini, a disputa do fundo de pensão dos funcionários do BB é uma disputa de poder, já que o governo pensa em criar uma Agência Reguladora da Previdência Complementar, submetida ao Ministério da Fazenda, beneficiando as chamadas empresas abertas, controladas pelos grandes bancos e seguradoras.

Um dia
Duas pesquisas eleitorais feitas pelo Ibope, para dois diferentes clientes, divulgadas terça-feira e ontem, trazem o petista Luiz Inácio Lula da Silva na liderança folgada, porém com uma diferença de quatro pontos percentuais entre uma enquete e outra. A pesquisa feita para o Bank of America mostra o candidato petista com 38% das intenções de voto. No dia seguinte, o mesmo Ibope, para o cliente Premium Propaganda, dá Lula com 42%. A primeira pesquisa foi feita entre 17 e 19 de maio e a segunda entre 17 e 20 do mesmo mês. A se crer nos números, o presidenciável do PT perdeu 10% dos seus eleitores em apenas um dia.

Milongueiro
Ardoroso defensor da austeridade fiscal para seus compatriotas, o demissionário presidente do Banco Central da Argentina, Mario Blejer, age de forma bem diversa quando o que está em jogo são seus privilégios. Funcionário do FMI por 30 anos, Blejer se recusou a pedir demissão do órgão, limitando-se se licenciar do Fundo. Por bom$ motivo$. A manutenção dos laços orgânicos com o FMI devem lhe garantir rendimentos polpudos em futuro breve. Em média, os mesmos técnicos do FMI que vão à Argentina ordenar cortes devastadores de gastos para investimentos e salários embolsam US$ 12 mil por mês, noves fora generosas verbas para ajuda de custo para viagens internacionais.

Só milagre
Para além da confissão tucana de que candidato a vice-presidente bom é o do PMDB que vota contra os dogmas econômicos de Pedro Malan, a escolha de Rita de Camata de Cássia para a chapa de José Serra guarda, ao menos, coerência imbatível com a situação eleitoral do tucano. Como se sabe, Rita de Cássia é a padroeira das causas impossíveis.

Artigo anteriorSaco de gatos
Próximo artigoEnsino à míngua
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

No exterior, Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.