Quem te viu

A substituição de concurso por contratação de terceirizados, o aumento da carga horária, a diminuição de postos de emprego, a redução do número de gerentes e caixas executivos, a implantação de um Plano de Antecipação de Aposentadoria, equivalente ao Plano de Demissão Voluntária oferecido em 1995, e a transferência de parte de serviços prestados no Rio de Janeiro para Belo Horizonte foram algumas das reclamações feitas pelos funcionários do Banco do Brasil durante audiência pública realizada pela Comissão de Trabalho da Assembléia Legislativa do Rio.

É o dinheiro, estúpido!
Pantominas e indignações seletivas à partes, a questão de fundo na “crise” desejada por setores da imprensa tupiniquim entre Brasil e Venezuela se encontra na oposição ao aprofundamento da integração da América do Sul, que tanto incomoda os defensores da retomada do finado projeto da Alca. Para se ter noção da importância da corrente de comércio (exportações mais importações), em janeiro passado, ao participar da abertura da Couromoda, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, o então ministro do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, destacou que a relação do Brasil com a Venezuela “é muito positiva e hoje eles são destino de exportações brasileiras mais importantes do que França, Itália e Inglaterra”.
Furlan, claro, não é nenhum esquerdista, sequer um nacionalista de carteirinha, mas, como empresário pragmático, sabe distinguir propaganda de realidade. Por isso, devem ficar restritas ao anacronismo de ideologias da guerra fria os arreganhos retóricos de alguns parlamentares brasileiros que ameaçam sustar o ingresso da Venezuela no Mercosul, por conta do desagrado com a resposta recebida do presidente Hugo Chávez. No mínimo, podem ter problemas com alguns financiadores de campanha.

Horror
Do jornalista Gilson Caroni Filho criticando, em artigo no site da Agência Carta Maior – www.agenciacartamaior.com.br – o que considera incompatibilidade entre democracia a e o poder abarcado pela mídia tupiniquim, que faz coro pela manutenção da concessão da RCTV: “Ora, não há inocentes: a mídia, tal como estruturada hoje, é incompatível com uma institucionalidade que não seja moldada aos seus interesses político-empresariais. A lógica, repetimos, que maximiza seus lucros não sobrevive sem déficit democrático. O espetáculo abomina a práxis. E a Globo tem horror à democracia.”

Previdência
Trabalhadores ibero-americanos poderão computar o tempo trabalhado nos diversos países da comunidade para garantir a cobertura previdenciária. O acordo multilateral será discutido pela Organização Iberoamericana de Seguridade Social (OISS), em evento nestas terça e quarta-feiras, em Guarulhos (SP). Participam da OISS Andorra, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

Na tela
Desde o início da semana a tradicional Central do Brasil, principal estação de trens urbanos do Rio de Janeiro, está mais moderna: 36 TVs de plasma exibem os horários de saídas do trens, além de propagandas, notícias e informações sobre o tempo.

Sem óculos
A fiscalização da Receita Federal do Brasil no Porto do Rio de Janeiro destruirá nesta quarta-feira cerca de 900 mil óculos falsificados, apreendidos no final do ano passado, avaliados em R$ 13 milhões. Nos documentos de importação os produtos piratas apareciam como bolsas, guarda-chuvas e lâmpadas de natal.

Ah, bom
“A saída do Giorgio Armani da Daslu se deu por conta da estratégia de venda adotada pela operação da marca dentro da Villa Daslu. A operação, há meses, vinha focando apenas em mercadorias de outlet com remarcações permanentes, o que não se encaixa de forma alguma dentro do perfil de produtos buscados por nossos clientes”, afirma nota distribuída pela loja paulista.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuebra de contrato
Próximo artigoCusto nas alturas

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Setor de energia é um dos alvos preferidos de hackers

Mais de 60% de todos os ataques foram de phishing; organizações criminosas de hackers são ameaça às infraestruturas críticas do Brasil.

Países árabes planejam expansão de energia limpa

Omã, Marrocos, Argélia e Kuwait estão entre os que têm planos mais ambiciosos.

‘Governo não apenas poderia, como deveria intervir na Petrobras’

Para especialista, Governo Federal deveria estar mais atuante para combater os preços abusivos dos combustíveis em toda a cadeia.

Exterior cauteloso pode prejudicar negócios locais

Índices futuros acionários em Nova Iorque operam em queda significante: temores relacionados a uma possível recessão nos EUA.

Marrocos quer se desenvolver como polo de tecnologia

Setor digital emprega 120 mil pessoas no país; país tem investido em acordos e memorandos para aumentar investimento na área.