24.8 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, janeiro 22, 2021

Quimeras

Segundo a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad), a queda do Muro de Berlim não redundou em desenvolvimento dos países do Leste Europeu nem para a Comunidade dos Estados Independentes (CEI): “Apesar do rendimento per capita ter crescido quase 75% desde o começo do milênio, o atual produto interno bruto (PIB) dessas economias permanece consideravelmente abaixo do registrado antes de 1989, diz a Unctad.

Abismo
Ainda segundo a Unctad, a diferenças das condições de vida entre os países desenvolvidos e a maioria dos em desenvolvimento permanece gigantesca: em 1980, o rendimento per capita era 23 vezes maior nos primeiros do que nos últimos. Embora essa lacuna tenha diminuído para 18 vezes, na África, na América Latina, no Ásia Ocidental e em economias de transição, a diferença em 2007 é ainda maior do que era em 1980.

Mais valia
Gilberto Guimarães, diretor da multinacional francesa BPI no Brasil, da área de consultoria em RH, lamenta que a produtividade do trabalhador brasileiro, na contramão do que ocorre no mundo, tenha caído para o 65º lugar no ranking de 124 economias pesquisadas pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Segundo Guimarães, o Brasil é superado por Chile, Argentina, Bósnia, Irã, entre outros países, e tem taxa equivalentes à de Uganda: “O valor agregado produzido por um trabalhador brasileiro caiu de US$ 15 mil por ano para US$ 14,7 mil, enquanto um trabalhador norte-americano produz US$ 66,8 mil; irlandeses, US$ 55,9 mil; franceses, US$ 54,6 mil; etc. Em contrapartida, a produtividade de um trabalhador chinês dobrou entre 1996 e 2005, atingindo US$ 12,5 mil, e deverá superar a produtividade do brasileiro até 2010”, compara.

Quilombola
Cerca de 100 representantes quilombolas do Espírito Santo participam de uma Audiência Pública no próximo dia 12, às 8h, na Assembléia Legislativa do Estado (Alerj). O objetivo é dar visibilidade ao processo de reconhecimento e titulação das terras já reconhecidas pelo Incra, mas cuja posse permanece com a Aracruz Celulose, como Linharinho, em Conceição da Barra, no Espírito Santo. Durante a audiência será lançado o fascículo Comunidade Quilombola de Linharinho, que integra o Projeto Nova Cartografia Social dos Povos e Comunidades Tradicionais no Brasil.

Somando 20 anos
Sem esquecer de priorizar a figura feminina, agora, exposta em suas telas com a leveza de ninfa, em composições  as mais diversas, Eduardo Argüelles expõe na Galeria Marly Faro, em Ipanema, em comemoração de seus 20 anos de carreira como artista plástico. Os trabalhos poderão ser vistos em vernissage, no próximo dia 12, às 20h, e ficarão expostos até 9 de outubro. Intitulada “Encantamento”, a exposição de Argüelles deve atrair grande público à galeria, que fica na Rua Aníbal de Mendonça 221.

Homenagem
A Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro aprovou  projeto de resolução batizando o prédio da Alerj na Rua da Alfândega 8 com o nome do ex-governador Leonel Brizola. O projeto foi de autoria do deputado Paulo Ramos (PDT).

Metade negocia
Segundo pesquisa da Associação Comercial de São Paulo, 48% dos devedores cujos nomes vão para o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) procuraram as empresas para renegociar suas dívidas. Entre estes, 63,8% conseguiram renegociá-las e retiraram seus registros do cadastro de inadimplentes. Dos 52% que não procuraram as empresas para renegociar, 55,1% afirmaram não ter dinheiro para pagar; 13,6% disseram não ter tempo e 12,1%, alegaram ter dificuldades no contato com o credor.

Direção perigosa
O motorista do ônibus 415 (Usina-Leblon) precisa retornar, com urgência, aos bancos do Detran do Rio de Janeiro para tomar lições básicas de direção. Terça-feira, por volta de 21h, ao dirigir pela Rua Toneleiros, em Copacabana, enfiou o veículo no meio dos galhos de uma árvore. Com o impacto, uma janela do ônibus teve o vidro quebrado. Duas passageiras, que estavam sentadas no segundo banco depois do motorista, foram atingidas por estilhaços de vidro. Por pura sorte, sem gravidade, mas a carreira do candidato a Fernando Alonso do asfalto precisa ser encerrada antes que provoque algum acidente mais grave.

Artigo anteriorDia D
Próximo artigoDedo duro
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.

EUA: expectativa por novos estímulos fiscais traz bom humor

Futuros dos índices de NY estão subindo, mesmo após terem atingidos novos recordes históricos no fechamento do pregão anterior.

Ajustando as expectativas

Bovespa andou na quarta-feira na contramão dos principais mercados da Europa e também dos EUA.

Sudeste produz 87,5% dos cafés do Brasil em 2020

Com mais de 55 milhões de sacas a região é a principal responsável pela maior safra brasileira da história.

Exportação de cachaça para mercado europeu cresceu em 2020

Investimentos será de R$ 3,4 milhões em promoção; no Brasil, já cerveja deve ficar entre 10 e 15% mais cara em 2021.