Reação contida

Nesta quarta, agenda de indicadores deu o tom mais para positivo, reduzindo as perdas das Bolsas europeias no início da manhã.

Opinião do Analista / 11:26 - 2 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Os mercados de risco até que reagiram bem ao longo do dia de ontem, mas foi uma reação contida. A agenda de indicadores deu o tom mais para positivo, reduzindo as perdas das Bolsas europeias no início da manhã e colocando as Bolsas americanas em rota de alta, assim como o Ibovespa. Já o dólar, ao contrário de anteontem, operou em boa queda durante o dia e aprofundando.

Logo cedo tivemos a divulgação de indicadores PMI da atividade industrial para o mês de junho, todos mostrando desempenho melhor e com destaque para o PMI do Brasil que mostrou expansão, com o índice em 51,6 pontos.

Nos EUA, beirou a fronteira entre contração e expansão em 49,8 pontos, mas o ISM de Chicago atingiu 52,6 pontos; ambos acima do que estava sendo previsto.

Ainda nos EUA, a nova pesquisa ADP de criação de vagas no setor privado em junho veio com expansão de 2,4 milhões de vagas, mas o previsto era 2,5 milhões. Amanhã teremos o Payroll antecipado com a criação de vagas nos setores público e privado. O investimento em construção teve queda de 2,1%, de previsão de ficar em +0,6%. Os estoques de petróleo é que encolheram bem acima do esperado com queda de 7,2 milhões de barris.

Porém, o que mais motivou os investidores foram os testes com vacinas contra a Covid-19 por diferentes empresas no mundo, todas anunciando sucesso no desenvolvimento. A nota dissonante ficou por conta das pressões dos EUA e da União Europeia contra a China por conta da Lei de Segurança Nacional imposta para Hong Kong, que ameaça a autonomia, estabilidade e prosperidade do território, com o Reino Unido ainda mostrando que fere acordo sino-britânico.

Também tivemos a divulgação da ata do Fed da última reunião que replicou termos do comunicado e declarações do presidente Jerome Powell. Segundo os membros, as condições financeiras melhoraram pelo fluxo de crédito e medidas de apoio e pretendem seguir usando todas as ferramentas para apoiar a economia. Esperam declínio agudo da atividade, muita dificuldade e vão manter juros nessa faixa entre zero e 0,25% por longo tempo.

Mantiveram a previsão de novos estímulos. Já a Suécia, manteve juros inalterados em zero, mas ampliaram a flexibilização monetária de 300 bilhões de coroas para 500 bilhões de coroas.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava alta de 1,17% (subiu mais ao longo do dia), com o barril cotado a US$ 39,73. O euro era transacionado em leve alta para US$ 1,125 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,68%. O ouro e a prata em quedas na Comex e commodities agrícolas com altas na Bolsa de Chicago. O minério de ferro é que teve dia de leve queda de 0,26% na China, com a tonelada em US$ 99,17.

Aqui, a Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou o IPC-S de junho com +0,36%, vindo de -0,54% em maio. A confiança empresarial é que subiu 14,9 pontos para 80,4 pontos, O IBGE anunciou o IPP (preço do produtor) de maio com alta de 1,22% (anterior em 0,11%)com preços em alta em 16 de 24 atividades. O Bacen mostrou o fluxo cambial até 26/6 negativo em US$ 2,9 bilhões, deixando o ano também negativo em US$ 12,6 bilhões.

O saldo da balança comercial de junho mostrou superávit de US$ 7,4 bilhões, levando o acumulado do primeiro semestre para US$ 23,03 bilhões. No mercado, o dólar teve dia de boa queda, para fechar com -2,66% e cotado a R$ 5,306. Na Bovespa, na sessão de 29 de junho, os investidores estrangeiros voltaram a alocar recursos no montante de R$ 507,2 milhões, deixando o saldo de junho positivo em R$ 842,6 milhões, mas com o ano de 2020 bem negativo em R$ 76 bilhões.

No mercado acionário, dia de queda de 0,19% da Bolsa de Londres, Paris com -0,18% e Frankfurt com -0,41%. Madri e Milão também com quedas de respectivamente 0,06% e 0,23%. No mercado americano, o Dow Jones com -0,30% e Nasdaq com +0,95%. Na Bovespa, dia de alta de 1,21% e índice em 96.203 pontos, situação que não acontecia desde o último dia 19.

Na agenda desta quinta, o principal indicador por aqui será a produção industrial de maio e nos EUA teremos o Payroll antecipado pelo feriado americano da sexta-feira do dia da Independência. Por lá, ainda teremos da taxa desemprego e pedidos de auxílio-desemprego da semana e as encomendas da indústria de maio.

.

Alvaro Bandeira

Economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor