Realismo ou ilusões?

As declarações do ministro da Casa Civil, José Dirceu, de que sempre foi radical e “quem pensa que sou moderado está vivendo de ilusões” estão a exigir desdobramentos práticos. Como a etiologia da palavra está ligada à raiz e, não ao sectarismo, como apregoam os moderados, os brasileiros desejam saber o que um petista radical fará diante do superávit primário (economia para pagar juros) do setor público no primeiro trimestre de R$ 22,835 bilhões, o dobro do mesmo período de 2002, ainda com FH/Malan, e superior em R$ 7,435 bilhões à meta exigida pelo FMI.

Fora daqui
A lembrança de Dirceu sobre sua condição de ex-preso político e ex-clandestino nos remete às palavras de ordem que puxava contra o FMI e a submissão do país às ingerências externas. Ou será que essa interpretação é apenas mais uma manifestação dos que “vivem de ilusões”?

Primeira
Nem bem voltou da Europa, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, já está de viagem marcada novamente para o Velho Continente. De 19 a 21 de maio estará em Moscou, na Rússia, com uma comitiva de aproximadamente 62 empresários. Será a primeira missão comercial do ministério no governo Lula.

Alca em debate
Na próxima segunda-feira, a Campanha Nacional contra a Alca realiza, às 18h, na Universidade Cândido Mendes, no Centro do Rio, o debate a “Perspectiva da Luta contra a Alca na Nova Conjuntura Internacional” com a presença de Paulo Passarinho, do Sindicato dos Servidores Públicos, da economista Ana Maria Santiago e do sociólogo Emir Sader.

Casa arrombada
Não foi por falta de aviso! No último dia 1º de maio, esta coluna advertiu sobre o risco, para além dos danos ao patrimônio público, que representava a depredação do prédio da Cibrazem, na Avenida Rodrigues Alves, no bairro da Saúde, Zona Portuária do Rio. Contatados durante dois meses por moradores, polícia, bombeiros e Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) não descruzaram os braços para deter a ação de pessoas que, contando com a estranha omissão dos seguranças, queimavam equipamentos e maquinário para retirar cobre e alumínio para vender. A fumaça que saía do prédio era tão forte que intoxicava a vizinhança. Após denúncia da coluna, o Corpo de Bombeiros e a Secretaria de Meio Ambiente do Rio estiveram no local, mas não adiantou. A ação contínua dos vândalos provocou um incêndio, ontem, no prédio, controlado com dificuldade pelos bombeiros. Espera-se que a Conab se mova agora para impedir o desabamento iminente do prédio.

Supermãe
O Dia das Mães é destaque no sítio da revista Mulher Executiva (www.executivas.com.br), apesar da dificuldade em conciliar as duas tarefas. Lá estão da origem da comemoração do Dia das Mães a sugestões de presentes para as executivas que deixaram a terefa de filha para a última hora.

Artigo anteriorMorte
Próximo artigoVizinho
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

Mortes dos essenciais

Aumentam em mais de 50% óbitos de caixas, frentistas e educadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.