Receita da Ambev no 3º trimestre é de R$ 15,6 bi em 18 países

Somente no Brasil a receita chega quase a R$ 7,7 bi.

Empresas / 22:44 - 29 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A receita líquida consolidada da Ambev teve alta de 15,1%, ficando em R$ 15,6 bilhões, no total de 18 países onde a companhia opera no terceiro trimestre desse ano. Somente no Brasil a receita líquida teve crescimento de 21,2% no 3º trimestre de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019, chegando a R$ 7,7 bilhões. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira pela companhia.

Segundo os dados, o volume de vendas no total dos 18 países registrou crescimento de 12%, chegando a 42,3 milhões de hectolitros, com aumento de 2,8% na receita por hectolitro. Já no Brasil o volume total de vendas (cerveja + não alcoólicos) aumentou em 19,8% para 28,4 milhões de hectolitros, com crescimento de 1,2% na receita por hectolitro. Em cerveja, o volume de vendas aumentou em 25,4% para 21,8 milhões de hectolitros. A receita líquida da venda de cerveja atingiu R$ 6,7 bilhões, e a receita por hectolitro caiu 0,2%. No segmento de bebidas não alcoólicas, o volume de venda aumentou em 4,3% no trimestre, totalizando 6,6 milhões de hectolitros.

A Ambev teve aumento de 12% no volume consolidado no terceiro trimestre de 2020 quando comparado ao mesmo período do ano anterior. Além disso, a receita apresentou alta de 15,1%, enquanto o Ebitda cresceu 1,4% também em comparação ao terceiro trimestre do ano passado.

Segundo a Ambev, lançamentos nacionais recentes, como Brahma Duplo Malte e Skol Puro Malte, fizeram parte desse movimento de atualização do portfólio no terceiro trimestre. Outro segmento importante que a empresa tem investido é o Health and Wellness, com o lançamento de Stella Artois sem glúten, na região Sudeste do Brasil, a Quilmes 0,0%, na Argentina, e Michelob Ultra, em diversos países. Já o portfólio premium, outro segmento que a companhia investe, subiu dois dígitos no período.

Segundo o CEO da empresa, Jean Jereissati, com consumidores comprando cada vez mais localmente, durante a pandemia, a Ambev reforçou sua operação logística em todo o Brasil. A frota percorreu mais de 25 milhões quilômetros para entregar seus produtos no terceiro trimestre de 2020 - número 22% maior do que o trimestre anterior.

"No Brasil, o que vimos foi nossa adaptabilidade, excelência operacional e inovação funcionando muito bem. Estimamos que a maior parte do crescimento do nosso volume veio de ganhos de market share com a nossa estratégia comercial ganhando tração", diz. "Nós estamos transformando profundamente nosso negócio para sermos capazes de responder mais rápido às demandas dos consumidores e às novas tendências do mercado. Estamos apenas no começo dessa jornada para trazer soluções para nossos clientes e consumidores, mas estou feliz em dizer que os resultados estão começando a aparecer".

De acordo com o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Ambev, Lucas Lira, o fomento ao ecossistema também faz parte da estratégia de negócio da companhia. Além do impacto positivo na cadeia de fornecedores, a Ambev também se manteve atenta e disposta a contribuir com o ecossistema de bares e restaurantes. Com ações como a parceria com as startups Get In e Lemon Energia, a companhia desenvolveu ações que ajudam na retomada dos negócios de pontos de venda.

Nos mercados internacionais, os resultados variaram de acordo com os diferentes cenários econômicos e sociais dos países em sua reação à pandemia. Na zona CAC (Central America and the Caribbean), houve queda de 9,9% no volume. Os países da LAS (Latin America South) tiveram um declínio menor, de 0,4%, enquanto no Canadá o volume subiu 7,1%.

"Entregamos um crescimento consolidado de volume com melhora em todas as nossas operações desde o último trimestre. E ainda mais importante, a recuperação do volume se traduziu em melhora do desempenho financeiro", diz o diretor.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor