31.6 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 23, 2021

Recessão, sem renda e com inflação em alta

A inflação oficial (IPCA) registrou alta de 4,52% em 2020. Segundo o IBGE, é a maior desde 2016, quando ficou em 6,29%. Em dezembro, o índice acelerou para 1,35%, que é a variação mais intensa desde fevereiro de 2003. É também a maior variação para um mês de dezembro desde 2002.

A alta dos preços colocou o salário mínimo no vermelho. O valor de R$ 1.100 a partir de 1º de janeiro, estabelecido pelo presidente Jair Bolsonaro através de medida provisória, representa um reajuste abaixo da inflação, que no caso do mínimo segue o INPC – este fechou em 5,45%. Para cumprir a legislação e repor as perdas – sem qualquer ganho real – o mínimo terá que ir para R$ 1.102.

A recessão reforça o quadro de crise na economia. Se o PIB de 2020 – soma de todos os produtos e serviços do ano passado – ficar dentro das previsões oficiais, haverá uma queda de 4,5%.

A alta em 2020 colocou a inflação acima do centro meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que era de 4%. Porém, permanece dentro da margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para baixo (2,5%) ou para cima (5,5%). Em 2019, a inflação tinha ficado em 4,31%.

Um dos maiores impactos para os consumidores em 2020 foi a elevação de 14,09% nos preços de alimentos e bebidas. O crescimento, que é o maior desde 2002 (19,47%), foi provocado por fatores como a alta do dólar e dos preços das commodities no mercado internacional.

O resultado do ano mostrou que os preços do óleo de soja (alta de 103,79%) e do arroz (76,01%) dispararam. Outros itens importantes na cesta das famílias também subiram expressivamente, entre eles, o leite longa vida (26,93%), frutas (25,40%), carnes (17,97%), batata-inglesa (67,27%) e tomate (52,76%).

Leia mais:

Inflação oficial tem alta de 4,52% em 2020, diz IBGE

Inflação em 2020 ultrapassou a meta

 

Artigos Relacionados

Indústria rejeita retrocesso à jurássica lógica colonialista

Entidades criticam 'visão rasa' de que Brasil deveria se concentrar na agroindústria.

Reajuste salarial no Brasil ficou abaixo da inflação

Em dezembro, o reajuste salarial no Brasil ficou abaixo da inflação (-0,9%). É o que revela o boletim Salariômetro, divulgado nesta sexta-feira pela Fundação...

Proposta do governo é armadilha para caminhoneiros

Categoria ameaça parar dia 1º, o que poderia afetar distribuição de vacinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

Más notícias persistem

Petróleo negociado em NY mostrava queda de 2,60% (afetando a Petrobras), com o barril cotado a US$ 51,75.

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.