Recorde de vendas e de produção de diesel S-10 em 2021

A Petrobras atingiu, em 2021, recorde anual de produção e vendas de diesel S-10, combustível com baixo teor de enxofre, afirmou a estatal nesta sexta-feira. Foi registrado aumento de 34,7% na comercialização do produto em relação a 2020, com a venda de 25,8 bilhões de litros; e incremento de 10% na produção, que alcançou 21,2 bilhões de litros. Para atendimento a seus contratos de venda, a produção de diesel S-10 da Petrobras é complementada por importações realizadas pela própria companhia.
O Projeto de Lei 4.322/2021, que limita o teor de enxofre no óleo diesel de uso rodoviário a 10 mg/kg (dez miligramas por quilograma), está em análise no Senado. Do mesmo modo, limita o teor de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA) no combustível a no máximo 8% em massa. Se a proposta virar lei, os postos só poderão vender o diesel S10 no país. Com isso, o diesel S500 terá os dias contados.
A maior parte do diesel consumido no Brasil se destina ao uso rodoviário. Esse combustível se divide em duas classes: S500 (com teor máximo de enxofre permitido de 500 mg/kg) e S10 (com teor máximo de enxofre permitido de 10 mg/kg).
Segundo a Petrobras, o crescimento do consumo do óleo diesel S-10 ocorre de forma associada à modernização da frota nacional, garantindo os melhores resultados ambientais e econômicos para os usuários. Atualmente, a venda do S-10 corresponde a mais da metade das vendas totais de diesel da Petrobras. Os números refletem os esforços da companhia para ampliar a oferta do produto com menor teor de enxofre e que atende às tecnologias mais modernas de motores em uso no Brasil. A companhia prevê investir US$ 2,6 bilhões na expansão da capacidade de suas refinarias até 2026, resultando numa produção adicional de mais de 300 mil barris por dia de óleo diesel S-10. Ao final desse prazo, todo o óleo diesel produzido pela Petrobras será S-10.

Óleos diesel

Dois tipos de óleos diesel automotivos são comercializados no Brasil: o diesel S-500 e o diesel S-10. Os óleos atendem às necessidades de diferentes tecnologias veiculares. O S-500 destina-se a veículos produzidos até 2011 e garante a esses veículos um menor consumo, com atendimento às legislações de emissões vigentes. Os veículos produzidos a partir de 2012 devem usar o óleo diesel S-10, que permite atender aos limites de emissões definidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). O uso do óleo diesel S-10 em veículos produzidos antes de 2012 não causa nenhum problema em relação ao uso ou às emissões de poluentes locais, mas pode representar um aumento do consumo.
“A Petrobras está apostando no uso de tecnologias para fornecer produtos que ajudem na melhoria da qualidade do ar e sejam competitivos em custo. O óleo diesel S-10 é essencial para o desempenho dos motores produzidos a partir de 2012, com impactos positivos na redução de emissões de material particulado em até 80% e de óxidos de nitrogênio em até 98%”, revelou a petroleira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Leega lança solução de inteligência de dados marketing das empresas

Marketing Analytics combina arquitetura Cloud, engenharia de dados e machine learning.

Qyon Tecnologia planeja crescer 65% em 2022

Marca deve fechar ano com cerca de 100 franquias.

Petrobras e Equinor avaliam projeto de energia eólica offshore

Geração de energia elétrica a partir dos ventos em alto-mar

Últimas Notícias

Leega lança solução de inteligência de dados marketing das empresas

Marketing Analytics combina arquitetura Cloud, engenharia de dados e machine learning.

Qyon Tecnologia planeja crescer 65% em 2022

Marca deve fechar ano com cerca de 100 franquias.

XP amplia crescimento do PIB para este ano

Elevou a projeção de 0,8% para 1,6%

Perfil de risco visto pelas corretoras

Uso do Questionário de Perfil de Investidor, chamado de suitability, que tem como função identificar seu apetite de risco

Diretor do Grupo Nubank cumpre novo mandato na Anbima

Permanecerá na vaga de conselheiro titular reservada à Anbima no Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional