Reescrever o passado

A derrota sofrida na reunião do Diretório Nacional do PT, que condenou a política econômica, em particular o draconiano superávit primário (economia para pagar juros), provocou uma tipo exótico de amnésia seletiva no líder do Governo no Senado, senador Aloizio Mercadante (PT-SP). Além de repetir o habitual mantra de que superávit fiscais cavalares reduziriam dívidas públicas turbinadas por juros pornográficos, Mercadante afirmou que “o compromisso com a responsabilidade fiscal sempre foi cláusula pétrea no PT”. Além de a opção preferencial pela responsabilidade com a banca fazer da história petista apenas no período DGL (Depois do Governo Lula), se a argumentação de Mercadante fosse verdadeira, por que o PT, além de votar contra a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) – com o voto do então deputado Mercadante – argüiu sua insconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF)?

Esquizofrenia
Em tempo: até hoje o Supremo Tribunal Federal (STF) não julgou o mérito do pedido petista contra a LRF. Deveria fazê-lo. Se não para dar a impressão aos brasileiros de que a celeridade dada aos pedidos do então ainda deputado José Dirceu para protelar sua cassação não são uma exceção no ritmo de decisão do STF, ao menos, para permitir à nação desfrutar do espetáculo de ver o PT, no governo, contestar o pedido apresentado pelo partido, quando era oposição.

Ganho garantido
A Ouvidoria Geral da União foi instada a investigar a constituição da empresa Gemini, fruto de sociedade entre a Petrobras e a White Martins. Em denúncia apresentada, no último dia 5, à ouvidora-geral da União Eliana Pint, o ex-empresário João Batista Vinhosa acusa a formação da sociedade – em fase de aprovação pela Secretaria de Direito Econômico (SDE), do Ministério da Justiça, e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) – de crime de “lesa pátria”. Segundo ele, o acordo entre as duas empresas obrigaria a Gemini a contratar da White Martins, que detém 60% das cotas, os serviços de liquefação do gás natural, armazenamento do produto, transporte até os clientes e manutenção dos equipamentos entre outros. Vinhosa afirma que esse tipo de acordo permitirá que, mesmo que a nova empresa seja deficitária, o sócio majoritário lucre ao vender serviços à própria sociedade.

Sem recibo
O presidente estadual do PSDB de São Paulo, deputado federal Antonio Carlos Pannunzio, bateu duro no presidente Lula diante das declarações feitas, semana passada, pelo presidente a emissoras regionais de rádio negando a existência do mensalão: “Lula assina atestado de alienado ao insistir em negar a existência de provas do esquema de corrupção montado em seu governo. Querer mais provas é pedir que corruptos e corrompidos assinem um recibo. E isso não acontece”, ironizou Pannunzio.

Luz
Ainda este ano será encaminhado à aprovação de três ministros projeto para a regulamentação do uso das lâmpadas fluorescentes compactas. A proposta foi elaborada pela ABilumi, associação de congrega as empresas importadoras de produtos de iluminação, que comemorou quarta-feira seu primeiro ano de atividades com um jantar no Julia Cocina, que contou com a presença de autoridades do Procel e do Inmetro.

Existe um banco assim
Um leitor desta coluna ouviu, quarta-feira à tarde, de uma aposentada que, como seus companheiros de infortúnio, mofava numa interminável fila do Banco Real: “Na propaganda, vocês buscam o cliente em casa com carro, chofer e champanhe. Por que vocês querem nos enganar dessa forma? Por que é que eu preciso esperar tanto para ser atendida?”, reclamava a senhora com um caixa.

Dom Quixote fiscal
Quem será o petista que defenderá, nos palanques eleitorais de 2006, a política econômica do ministro Palocci como caminho para a redenção no paraíso petista? Em 2002, nem o candidato tucano, José Serra, topou se imolar em público defendendo o ministro Pedro Malan, o Palocci de FH.

O porto é nosso!
Lei sancionada pelo presidente Lula mudou o nome do Porto de Sepetiba, no Estado do Rio, para Itaguaí. A mudança teve o apoio dos moradores daquele município, que, reclamavam que, embora localizado em Itaguaí, o porto fora batizado com o nome do bairro carioca.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Taxa de carbono vai custar quase € 800 mi à Turquia

Os exportadores turcos de produtos com alto consumo de energia, como cimento, aço e alumínio, poderão enfrentar custos adicionais exorbitantes quando as propostas legislativas...

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado de TI é alavancado pela pandemia

Tetris IT, empresa que desenvolve projetos de inovação digital, cresceu 300% em 2020.

Ações da ClearSale valorizam mais de 20% na estreia na B3

A ClearSale (ticker CLSA3) concluiu nesta sexta-feira a sua oferta pública inicial (IPO) na B3. A oferta movimentou R$ 1,3 bilhão sendo que, apenas...

Edital da Oferta Permanente inclui 377 blocos

A Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural (ANP) publicou nesta sexta-feira nova versão do edital da Oferta Permanente, com a inclusão de 377...

Multa de R$ 500 mil para ‘fake’ sobre eleição

Uma multa de R$ 500 mil, caso repita as manifestações que questionem os últimos pleitos presidenciais realizados no país, faz parte uma ação que...

Bacia de Campos recua com redução drástica de investimentos

A Bacia de Campos, atualmente a segunda maior região produtora de petróleo do Brasil, registrou em junho a sua menor produção média dos últimos...