Reino Unido desiste de reduzir Imposto de Renda dos mais ricos

860
City de Londres (foto Wikipedia CC2)
City de Londres (foto Wikipedia CC2)

O governo britânico anunciou nesta segunda-feira que desistiu de acabar com a alíquota mais alta do Imposto de Renda – que é de 45% – após uma enorme turbulência financeira e duras críticas de dentro do Partido Conservador. Está claro que a abolição “se tornou uma distração de nossa missão primordial de enfrentar os desafios que nosso país enfrenta”, tuitou o secretário do Tesouro, Kwasi Kwarteng.

“Isso nos permitirá focar em entregar as principais partes de nosso pacote de crescimento, incluindo apoio às contas de energia, outros planos de corte de impostos e reformas do lado da oferta”, acrescentou.

Em 23 de setembro, Kwarteng divulgou o maior pacote de redução de impostos desde 1972, citando que a alíquota máxima era mais alta do que países como Noruega, Estados Unidos e Itália, e a remoção foi projetada para atrair os melhores talentos. Atualmente, a taxa básica de Imposto de Renda do Reino Unido é de 20% e aumenta para 45% para ganhos acima de £ 150 mil.

A declaração de 23 de setembro colocou os mercados financeiros em turbulência com a queda da libra esterlina para mínimas recordes, e os custos de empréstimos do governo aumentaram acentuadamente. Os investidores estão preocupados que a política aumente o endividamento público, traga séria incerteza fiscal e impulsione a já alta inflação.

Espaço Publicitáriocnseg

O pacote não se limitava a mexer no Imposto de Renda. Também estão previstas reduções em taxas pagas por empresas, no que se assemelha à reedição da trickle-down economics, concedendo benefícios fiscais a companhias e pessoas de alta renda com o argumento de que os benefícios se espalharão pela economia.

O plano de eliminar a alíquota máxima do imposto também foi criticado pelos conservadores por temores de que o governo possa perder o contato com os eleitores. O ex-secretário de Transportes Grant Shapps comentou no domingo em um artigo da mídia que “os conservadores não devem governar assim”.

“Como conservador, acredito apaixonadamente em impostos mais baixos e em uma cidade de Londres vibrante e competitiva, mas não é hora de fazer grandes doações para aqueles que menos precisam”, disse Shapps.

Leia também:

Escravidão: mais da metade ocorre em países de renda alta ou média-alta

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui