Relatório perigoso

Fatos e Comentários / 17:56 - 10 de abr de 2000

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Zum-zum forte em Brasília dá conta que a diretora do Departamento de Fiscalização do Banco Central, Tereza Grossi, estaria proibindo qualquer contato de técnicos que fizeram a sindicância dos bancos Marka e FonteCindam (principalmente este último) com a imprensa. Depois das denúncias do líder do PT na Câmara, deputado federal Aloizio Mercadante (PT-SP), de que ela negara à CPI dos Bancos já conhecer a administração temerária do Marka e que o BC cancelara duas sindicâncias sobre o FonteCindam (menos de 30 dias antes da desvalorização cambial), Tereza teria mandado um recado mal-criado para um de técnico da delegacia do Rio de Janeiro. Segundo fontes do BC, o funcionário já foi avisado de que estaria sujeito a pena de quatro anos de prisão caso divulgue o relatório. Inimigo íntimo Somente 30% dos casos de fraudes cibernéticas atendidos pela empresa GBE Peritos & Investigadores Contábeis, especializada em segurança, envolvem hackers. O maior problema das empresas brasileiras são as invasões internas cometidas pelos próprios funcionários. Os problemas vão desde a falta de controle das senhas pessoais até as áreas de sistemas, responsáveis pela implantação de novas tecnologias, que deixam portas propositalmente abertas para usos criminosos. Outro ponto crítico é o setor bancário. A empresa acusa os bancos de lerem apenas os códigos de depósitos nas operações via Internet, não checando se realmente a conta destino do pagamento é mesmo a da empresa que deve receber o dinheiro. Miçangas Na quinta-feira passada chegou ao Rio, em "visita de cortesia", o porta-aviões francês Foch. A vinda do navio é parte do lobby francês para "empurrar" o Foch para o Brasil, em substituição ao vetusto Minas Gerais. O navio francês parte hoje. Fontes do meio militar avaliam que a recepção porta-aviões não foi calorosa; estava mais para glacial do que tropical. O Foch, que não é nenhum exemplo de modernidade e teria um preço por demais salgado, deixou a sensação de que mais valeria investir em projeto nacional. Cabral parece ter tido mais sorte com os nativos. Juventude Cerca de 70% dos jovens não confiam nos políticos. O resultado foi apurado em pesquisa da Fundação Perseu Abramo, do PT. Apesar do desalento, 56% jovens revelaram ter preferência por algum partido, contra 44% que disseram não ter simpatias partidárias. Sem verba A proposta de orçamento que tramita no Congresso Nacional não prevê repasse de verbas do Tesouro da União para o atendimento de adolescentes autores de infração internos de instituições estaduais. A verba para esta ação deveria estar contemplada na dotação orçamentária para o Fundo Nacional da Criança e do Adolescente (FNCA). A verba prevista para o fundo - R$ 2.748.000,00 - ainda não existe, pois depende de arrecadação feita em possíveis campanhas ou outras ações que o Conselho Nacional da Criança e do Adolescente vier a desenvolver ao longo do ano. No ano passado, o orçamento destinou cerca de R$ 21 milhões para FNCA, mas ao final do ano, apenas R$ 3 milhões puderam ser utilizados em virtude dos cortes impostos pelo ajuste fiscal do FMI. Treino sem gol As reiteradas manifestações dos governantes dando conta de que cresce a cada dia a requalificação profissional dos desempregados foram duramente criticadas pela economista Tânia Bacelar, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e conselheira do Conselho Federal de Economia (Cofecon). Isto porque, mesmo após o novo treinamento, as pessoas não têm acesso ao mercado de trabalho. Entre triste e indignada, lamentou o fato de o governo estar criando legiões de "desempregados qualificados".

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor