Remédios à base de losartana serão recolhidos pela Anvisa

Produtos devem ser retirados das farmácias em até 120 dias.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nesta quinta-feira, a interdição e o recolhimento de lotes de medicamentos contendo o princípio ativo losartana, que é um anti-hipertensivo e um dos remédios para insuficiência cardíaca mais utilizado no Brasil. Segundo a agência, a decisão foi tomada em razão da presença da impureza “azido” em concentração acima do limite de segurança aceitável.

O prazo máximo regulamentar para conclusão do recolhimento dos produtos das farmácias é de até 120 dias, contados a partir de hoje, data da publicação da resolução, para a qual a Anvisa avaliou o impacto no mercado brasileiro e a necessidade de continuidade dos tratamentos.

A Anvisa orienta que pessoas que utilizam o remédio não devem interromper o seu tratamento. Acrescentou que a hipertensão e insuficiência cardíaca exigem acompanhamento constante e qualquer alteração no tratamento deve ser feita somente pelo médico que acompanha o paciente. Deixar de tomar o remédio pode trazer riscos para a saúde.“

A medida preventiva foi adotada após a evolução do conhecimento sobre as impurezas e ela serve para adequar os produtos usados no Brasil aos limites técnicos previstos para a presença deste contaminante, explicou a Anvisa.

Nos casos de pessoas que estejam usando lotes afetados do medicamento, a orientação da Anvisa é continuar o tratamento e conversar com o médico em caso de dúvida ou necessidade de orientação. Os pacientes podem, ainda, entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do laboratório para se informar sobre a troca do remédio por um lote que não tenha sido afetado pelo recolhimento ou interdição. Os meios para contato com as empresas estão disponíveis na embalagem e bula dos produtos.

Por meio de nota, a Anvisa esclareceu que, desde a descoberta da possibilidade de presença do “azido” na losartana, em setembro de 2021, vem adotando medidas para garantir que os medicamentos disponíveis para a população brasileira estejam dentro dos padrões de qualidade.

A Anvisa notificou os detentores de registro desses remédios para apresentarem os resultados da avaliação sobre a existência dessa impureza em seus produtos.

Com Agência Brasil

Leia também:

Pandemia reduziu acesso das Classes B, C, D e E a computadores

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Macron reforma Gabinete da França

A primeira-ministra Elisabeth Borne deve apresentar hoje o programa do novo governo na Assembleia Nacional.

Viagens tiveram queda de 41% entre 2019 e 2021

Dados são da Pnad Contínua Turismo 2020-2021, do IBGE; já as corporativas superaram R$ 1 bi em faturamento em maio deste ano.

Ovo aumentou 202,13% acima da inflação oficial

Pesquisa do IBPT analisou o preço de 40 produtos, entre março de 2020 e maio de 2022.

Últimas Notícias

Macron reforma Gabinete da França

A primeira-ministra Elisabeth Borne deve apresentar hoje o programa do novo governo na Assembleia Nacional.

Viagens tiveram queda de 41% entre 2019 e 2021

Dados são da Pnad Contínua Turismo 2020-2021, do IBGE; já as corporativas superaram R$ 1 bi em faturamento em maio deste ano.

Ovo aumentou 202,13% acima da inflação oficial

Pesquisa do IBPT analisou o preço de 40 produtos, entre março de 2020 e maio de 2022.

Exterior misto deve acrescentar volatilidade nos negócios locais

Nesta quarta, dólar também ganha força ante moedas emergentes e ligadas a commodities, o que deve pressionar o real.

BNDES: R$ 317,2 milhões nos aeroportos de Mato Grosso

Ao todo serão investidos R$ 500 milhões nos quatro aeroportos, com participação de 65% do BNDES