Renault eleva o tom em elétricos com o Mégane E-Tech

Os novos lançamentos automobilísticos no Brasil: Renault Mégane E-Tech, Toyota Corolla 2024 e Ford Ranger Raptor.

100
Renault Megane E-Tech. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault
Renault Megane E-Tech. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

A Renault está lançando no Brasil mais um modelo elétrico. Diferentemente do Kwid, o Mégane E-Tech sobe alguns degraus em design, tecnologias, conforto e conectividade.

Trata-se de um crossover, que se aproxima de um SUV cupê, de 4,21 m e que já nasceu elétrico. Ele é baixo (1,52 m de altura), tem bom entre-eixos (2,68 m) e seu porta-malas acomoda 440 litros.

O motor elétrico rende 220 cv de potência e 30,6 kgfm de torque instantâneo. A nova bateria de 60 kWh é capaz de levá-lo perto de 400 km se utilizada na cidade – a média do Inmetro é de 337 km.

Em um carregador rápido, é capaz de ir a 80% de carga em menos de 40 minutos. E num wallbox de 22 kW, menos de 2 horas.

Espaço Publicitáriocnseg
Renault Megane E-Tech. Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem / Renault

Se chama a atenção por fora, seu interior é todo hi-tech: o painel de instrumentos fica em uma grande tela digital de 12,3” e se junta à tela multimídia de 9”. Quase todos os controles ficam próximos do volante – até a tecla do câmbio está na coluna da direção.

O novo Renault elétrico, importado da França, é bem e chega por R$ 279.900, numa única versão. Na pré-venda, quem levar as 100 primeiras unidades ganha um wallbox.

Com o Mégane E-Tech, a Renault sobe a régua em seu nível de eletrificação e chega para concorrer com modelos do porte do Volvo XC40 e BYD Yuan Plus.


Sem muito alarde, Toyota renova de leve o Corolla

Depois de 4 anos sem mudanças importantes, a Toyota renova seu sedã médio com uma discreta reestilização e melhorias internas. Os preços do Corolla 2024 variam de R$ 148.990 na versão de entrada GLi e vão a R$ 198.890 na top Altis Hybrid Premium.

Por fora, mudanças sutis: a versão XEi recebeu grade em formato colmeia e novo desenho nas rodas de 17”. Já a GR-Sport agora tem teto solar e rodas escurecidas.

Todas configurações têm central multimídia atualizada de 9”, que conecta sem fio. Apenas a GLi possui computador de bordo com display de 7”, enquanto as demais têm painel todo digital de 12,3”.

A motorização evoluiu em emissões e eficiência, e manteve o desempenho: a híbrida flex rende os mesmos 122 cv de potência e conta com novos pneus (mais estreitos 215/50 no lugar do 225/45), mudança que, segundo a Toyota, melhora em 12% seu consumo.

Já a motorização 2.0 passa a render 175 cv (ao invés de 177 cv) com a transmissão CVT. A adoção de um novo sistema de recirculação de gases ajuda a reduzir as emissões e os novos pneus, menos largos, contribuem para a redução de 8,4% no consumo.


Série especial XPlay do Kicks terá apenas mil unidades

Mais uma vez a Nissan aposta em uma série especial para o Kicks. Pela terceira vez, o crossover recebe uma edição limitada XPlay 2024, de 1 mil unidades e apelo mais esportivo, ao preço de R$ 140.490.

De diferente, o Kicks, baseado na versão Advance, apresenta teto, para-choque, saias laterais e capas dos retrovisores com a nova pintura vermelho Malbec, além de aerofólio preto em plaquinha na grade com o número de fabricação. Por dentro, há costuras vermelhas nos bancos e o nome da série estampada em soleira e tapetes.

Tela multimídia de 8 polegadas, câmera de ré, 6 airbags e sensor crepuscular são destaques em conteúdos.

O motor é o mesmo 1.6 de 113 cv com transmissão CVT.


Ford trará ‘monstro das trilhas’ para o Brasil

A Ford anunciou a chegada ainda para este fim de ano de uma versão mais brava de sua Ranger: pela primeira vez, o Brasil terá oficialmente uma Raptor no catálogo da picape. A grife é sinônimo de robustez e esportividade. O preço ainda não foi divulgado.

Topo de linha da gama, fabricada na Tailândia e inspirada nos veículos de corrida no deserto, a Ranger Raptor terá motor V6 3.5 biturbo que rende quase 400 cv e vocação 4×4, desenvolvida pela Ford Performance. Traz também novos ajustes de suspensão.

“A Ranger Raptor é feita para quem quer o que há de mais avançado em performance todo-terreno. É um verdadeiro monstro das trilhas. Não há nenhuma picape da categoria que chegue perto dos atributos de desempenho que ela oferece para enfrentar os terrenos mais radicais do planeta”, conta Daniel Justo, presidente da Ford América do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui